junho 18, 2016

Boa tarde caros amigos e seguidores

Já repararam com certeza na ausência de noticias no blogue, mas por motivos profissionais e pessoais ( projecto desportivo ) onde alcançámos a subida á 2ª divisão nacional e neste momento estamos a disputar o apuramento de campeão nacional da 3ª divisão.

Durante esta pequena pausa desportiva vou tentar organizar a próxima época, afim de voltar a dar mais vida a este meu/vosso blogue.

Obrigado pela compreensão

e finalmente.......

SOMOS TRICAMPEÕES 

março 14, 2016

SL Benfica-Tondela, 4-1


Festa, golos e liderança

O Estádio da Luz recebeu, na noite desta segunda-feira, o jogo que encerra a 26.ª jornada da Liga NOS. Os 51.314 espectadores viram a vitória por 4-1 e o regresso do Bicampeão à liderança da tabela classificativa.

Montado no figurino habitual, em 4-4-2, o Sport Lisboa e Benfica apresentou mudanças em algumas peças em relação ao jogo em São Petersburgo. O treinador Rui Vitória manteve Nélson Semedo à direita, mas fez entrar Jardel para o eixo da defesa e colocou Talisca no lugar do castigado Renato Sanches; no miolo, o lugar de médio mais recuado foi ocupado por Fejsa.

O Bicampeão marcou logo aos 10 minutos através da cabeça de Jardel, num jogo acutilante durante toda a primeira parte, apesar de nem sempre bem jogado. O Tondela recusou trazer o “autocarro” para a Luz, esticou o seu Futebol a toda a largura do relvado e, mesmo não criando problemas de maior a Ederson, obrigou a defesa Benfiquista a estar sempre com atenção máxima.

Antes disso, logo no primeiro minuto, Mitroglou introduz a bola na baliza defendida por Cláudio Ramos, mas o lance foi invalidado e mal pela equipa de arbitragem. A bola vem diretamente de Ederson para Mitroglou através da marcação de um pontapé de baliza, logo nunca poderia ser assinalado fora de jogo, apesar de, neste caso, ter ficado a ideia de que o grego está em linha.

Fazendo jus à máxima de que “este Benfica tem golo fácil”, a eficácia foi tremenda. Decorria o minuto 23 quando uma jogada bem orquestrada pelo coletivo deu no golo de Jonas, o 27.º nesta Liga NOS. Gaitán – que já tinha assistido Jardel para o 1-0 – fez o passe letal.

O intervalo chegava com o conjunto da casa a vencer por dois tentos sem resposta perante um Tondela atrevido.

Na etapa complementar, Rui Vitória mexeu na equipa e isso repercutiu-se na qualidade de jogo da equipa. Mais bola, maior assertividade no ataque à baliza do Tondela, só Cláudio Ramos foi evitando o 3-0, com defesas a remates de Mitroglou em três ocasiões.

“Pistolas” voltou a fazer estragos

Porém, aos 68’, nada pôde fazer para travar a cabeçada de Jonas. O brasileiro deu o melhor seguimento a um lançamento lateral de Eliseu, que a meio, sofreu um desvio até à cabeça do camisola 17.

Com 28 golos, Jonas é o melhor marcador do Benfica, em Portugal e na Europa. Impressionante!

A fechar e depois de tantas tentativas, o grego Mitroglou fez o 4-0 aos 87 minutos.Nos descontos, Nathan Júnior fez o 4-1 final.

As “águias” lideram a classificação com 64 pontos e no domingo vão até ao Bessa enfrentar o Boavista.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Ederson; Nélson Semedo, Lindelöf, Jardel, Eliseu; Fejsa (Samaris, 69’), Talisca (Salvio, 54’), Pizzi, Gaitán (Gonçalo Guedes, 57’); Jonas e Mitroglou.

Marco Rebelo
Fotos: Isabel Cutileiro e João Paulo Trindade / SL Benfica

Voleibol ergue a 16.ª Taça de Portugal!


SL Benfica – Fonte do Bastardo, 3-1

Pavilhão Jorge Galamba Marques, na Figueira da Foz, vestido a rigor para receber a Final da Taça de Portugal em Voleibol. Frente a frente, SL Benfica, que na meia-final venceu o Castêlo da Maia, por 3-1, e Fonte do Bastardo, que eliminou o SC Caldas (3-0), na outra meia final.

Início de jogo equilibrado, com o SL Benfica a disparar depois do 1.º tempo técnico, fechando o 1.º set com a vitória por 25-19. Resposta pronta da formação açoriana, a deixar tudo em campo e a igualar o jogo a um igual, após vencer o 2.º parcial por 20-25.

Terceiro set muito disputado, a Fonte do Bastardo bem tentou, mas as “águias” impuseram-se, colocando-se novamente em vantagem no jogo: 25-19.

Decidido a fechar o desafio e a trazer mais um título para as vitrinas do Museu Benfica – Cosme Damião, os comandados de José Jardim entraram imperiais no 4.º set, cavando a maior vantagem no jogo. Os açorianos nunca “deitaram a toalha ao chão”, lutaram com todas as forças, mas este Benfica sabe muito bem o que quer e não deu hipótese! Vitória no set, por 25-17, vitória no encontro, por 3-1.

Exibição de raça, "à Benfica", plena de qualidade e ambição!

Depois da conquista da Supertaça, o Glorioso conquista assim a 16.ª Taça de Portugal - 2.ª consecutiva - do palmarés, e na presente temporada continua na luta pelo Tetracampeonato – onde na Final vai defrontar este mesmo Fonte do Bastardo - e pela Challenge Cup (onde está nas meias finais).

O SL Benfica alinhou de início com Paulo Renan, Hugo Gaspar, Roberto Reis, Ivan Kolev, Mart Van Werkhoven, Zelão, Ivo Casas.

As atenções centram-se agora na Europa, com as “águias” a viajarem até Itália onde, já na próxima quarta-feira, disputam a 1.ª mão dos das meias finais da Challenge Cup. O adversário é o Calzedonia Verona, numa partida agendada para as 19h30 locais.


Reações ao desafio

“A grande dificuldade foi o enorme valor da equipa adversário. Hoje estiveram frente a frente duas grandes equipas e qualquer uma delas podia vencer! Fomos uma equipa de grande carácter, mostrámos que estamos preparados, é uma lição. Estou muito feliz, conquistámos mais uma Taça de Portugal, e conquistada na Figueira da Foz, terra do meu pai e do meu sogro, ambos nasceram aqui e este título é para eles também. Temos de viver agora esta euforia, a nossa vontade de vencer, mas amanhã recomeçamos a trabalhar porque ainda temos mais objetivos a alcançar”, José Jardim

“Este título é fruto do nosso trabalho, da nossa dedicação, dos treinos. Estamos todos de parabéns! Já ganhamos a Supertaça e a Taça… é complicado fazer melhor que a não passado, mas é para isso que cá estamos”, Hugo Gaspar

“A equipa está muito confiante. Não fui o melhor… a equipa, o conjunto, foi o melhor. Cada um tem um papel muito importante. Esta vitória dá-nos maior fôlego, mas vamos festejar hoje e amanhã recomeçar a trabalhar”, Zelão

A nossa força é o coletivo muito forte! Estamos sempre preparados para jogar! Todos os títulos são especiais! Estou muito contente!”, André Lopes

“O sabor deste título? A alegria que damos aos adeptos, a alegria que o grupo tem em vencer! Estamos a lutar e a trabalhar para ganhar tudo! Vai ser complicado superar a época passada… mas estamos cá!”, Roberto Reis

“Queríamos muito ganhar a Taça! Estávamos confiantes e mantivemos sempre o nível, transpondo a ambição e o querer para dentro de campo. O favoritismo prova-se dentro de campo”, Ivo Casas

SA
Fotos: 
Paulo Costa Dias Fotografia

março 12, 2016

Zenit – SL Benfica, 1-2 (1-3)


“Águias” estão nos 1/4 final da Champions

Sport Lisboa e Benfica e Zenit disputaram esta quarta-feira a passagem aos quartos de final da Liga dos Campeões. Depois do 1-0 na 1.ª mão, com golo de Jonas, o Estádio Petrovsky foi o palco do desafio da 2.ª mão dos ”oitavos”.

Com um golo de vantagem na bagagem levada até São Petersburgo, ao que se juntou uma enorme determinação e ambição, foi uma equipa personalizada – apesar das muitas mudanças no figurino – que se apresentou em campo.

Na baliza, o jovem brasileiro Ederson; Samaris surgiu adaptado a central, ao lado de Lindelof, com as alas entregues a Eliseu e Nélson Semedo. Meio campo com Fejsa a fechar, reforçado com Renato Sanches, Pizzi e Gaitán; na frente, duas setas apontadas à baliza de Lodygin, Jonas e Mitroglou.

Primeira metade equilibrada, mas com um Benfica com sinal mais, muito ciente daquilo que tinha de fazer… Carácter, inteligência, qualidade e muito coração!

Aos 5’, primeira oportunidade de golo, com Jonas a converter um livre muito perigoso, para defesa atenta de Lodygin; o mesmo Jonas que aos 12’ tentou novamente a sorte, só que desta vez o remate saiu ao lado.

Aos 7’, primeiro remate dos russos, com Dzyuba a atirar ao lado; aos 19’, grande jogada do coletivo “encarnado”, com Renato Sanches a afinar a pontaria, pontaria que não faltou a Nélson Semedo (31’) mas à figura do guardião adversário.

Ainda nos primeiros 45’, mais uma oportunidade de inaugurar o marcador, só que Ederson foi enorme! Hulk serve Dzyuba, mas o jovem guardião “canarinho” saiu com coragem e disse não. Ao intervalo o nulo mantinha-se!

A justiça por vezes tarda… mas não falha!

Segunda metade a começar com equilíbrio, contudo, com o Zenit em desvantagem, a pressão russa intensificou-se, com os comandados de André Villas-Boas a darem o tudo por tudo, perante umas “águias” que, de forma pragmática e muito coração, resolveram.

À passagem da hora de jogo, o encontro partiu-se… com o Zenit, primeiro por Smolnikov, depois através de Dzyuba a ter soberanas oportunidades. Jonas respondeu… mas aos 69’ foi o árbitro húngaro, Viktor Kassai, quem se tornou o protagonista maior!

Zhirkov atropela Nélson Semedo, vai à linha e cruza para Hulk cabecear para o empate! Golo irregular, precedido de falta claríssima, com o árbitro a validar. Inacreditável!

Eliminatória empatada… e Lindelof, minutos depois, de cabeça, por muito pouco não colocava as “águias” novamente em vantagem…. Não colocou o sueco, colocou argentino!

Minutos 85’, Raúl dispara de longe para defesa incompleta, com Gaitán – oportuno – a cabecear para o golo da justiça, para o golo que coloca o Bicampeão português na fase seguinte da prova.

Havia dúvidas de quem merecia seguir em frente? Talisca, no último minuto do tempo de compensação respondeu taxativamente com o 1-2.

O SL Benfica conhecerá o adversário dos quartos de final da mais prestigiante prova de Clubes do Velhinho Continente na próxima sexta-feira, dia 18 de março, num sorteio que terá como palco Nyon (Suíça).

O Glorioso iniciou a partida no Estádio Petrovsky com Ederson; Nélson Semedo, Lindelof, Samaris e Eliseu; Fejsa, Renato Sanches, Pizzi (Salvio,73’) e Gaitán; Jonas (Talisca, 90+1’) e Mitroglou (Raúl, 67’).

Segue-se nova jornada da Liga NOS! O Bicampeão Nacional, líder da classificação geral, tem encontro marcado com o Tondela para a próxima segunda-feira. Este desafio é referente à 26.ª jornada da competição e tem início marcado às 20h00 no Estádio da Luz.

SA
Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

março 07, 2016

Sporting CP - SL Benfica, 0-1


“Águia” voa para a liderança!

Sábado à noite de dérbi, o mesmo que dizer, sábado de emoções à flor da pele! Os dois emblemas da Cidade das Sete Colinas – separados por um ponto na geral – a defrontarem-se à passagem da 25.ª jornada da Liga NOS… e com os olhos na liderança da prova.

Estádio José de Alvalade a registar a maior enchente da temporada… sintomático dos recintos que o Bicampeão visita!

Início de partida intenso, em alta voltagem e com dois lances que deixam muitas dúvidas…

É que se se aceita a marcação da falta cometida por Eliseu sobre Bruno César, obrigatoriamente, e seguindo o mesmo critério, o árbitro teria de ter assinalado logo no minuto inicial uma falta sobre Jonas (carregado por William Carvalho) e, aos 19’, nova falta, desta feita sobre Gaitán (carregado por Coates). Em ambas as situações os jogadores do SL Benfica são empurrados pelas costas… e ambas dentro da pequena área.

O Bicampeão entrou melhor no encontro e, aos 20’, a primeira grande explosão de alegria nas hostes “encarnadas”, com as 2600 “águias” presentes em Alvalade e os outros milhões por esse mundo fora a gritarem a plenos pulmões o golo de Mitroglou.

Cruzamento de Jonas na esquerda, remate de Samaris, a bola sobra para o grego que, na cara de Rui Patrício, remata com frieza para o 0-1.

As equipas encaixaram, a intensidade manteve-se, com os “leões” – em desvantagem em casa – a carregarem nos últimos minutos, mas sempre com Ederson, chamado à titularidade após lesão de Júlio César, a mostrar segurança.

Aos 40’, a única oportunidade de golo para o Sporting. Grande remate de Jefferson, com a bola ser devolvida com estrondo pela trave… mas tudo começa num lance precedido de fora de jogo. Ao intervalo, vantagem para o Glorioso!

Capacidade de superação e inteligência


Início de segunda metade à semelhança da primeira, com Artur Soares Dias em destaque! Cartão amarelo para Jonas, o primeiro do desafio, isto após as faltas sucessivas de Ewerton nos 45’ iniciais e dos avisos do árbitro ao jogador leonino… Aos 52’, amarelo para Gaitán… mas o cartão pelas faltas sucessivas de William Carvalho ficou no bolso. Enfim!

Renato Sanches e Gaitán testaram Rui Patrício nos momentos iniciais; o Sporting subiu as linhas empurrando o Benfica para zonas mais recuadas.

Até ao final, os “leões” carregaram com tudo, com o SL Benfica a suster, de forma inteligente, pragmática, com um enorme coração, solidariedade e entre-ajuda – com alguma “estrelinha” à mistura também - as intenções “verde e brancas”.

Vitória de um enormíssimo coração!

Com este resultado, as “águias” voam diretamente para o 1.º lugar da classificação geral, somando 61 pontos (20V1E4D), 66 golos marcados e 17 sofridos.

O SL Benfica alinhou de início com Ederson; André Almeida, Lindelof, Jardel e Eliseu; Samaris, Renato Sanches, Pizzi (73’, Fejsa) e Gaitán; Jonas (78’, Salvio) e Mitroglou (67’, Raúl).

Segue-se viagem à Rússia!

Agora há que mudar o chip, com o Bicampeão a centrar todas as atenções na viagem à Rússia. Na próxima quarta-feira, dia 9 de março, Sport Lisboa e Benfica e Zenit disputam a passagem aos quartos de final da Liga dos Campeões, numa partida agendada para as 17h00 de Portugal Continental.

Os “encarnados” partem para São Petersburgo em vantagem na eliminatória, depois do 1-0 apontado por Jonas e, no Estádio Petrovsky, o objetivo é claro: carimbar a passagem à fase seguinte da mais prestigiante competição de Clubes do Velhinho Continente.

SA
Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

fevereiro 20, 2016

Paços de Ferreira – SL Benfica, 1-3


Três pontos na Mata Real!

Final de tarde de sábado amena, marcada pela deslocação do SL Benfica à Mata Real, recinto completamente lotado, com a “onda vermelha” a inundar a Capital do Móvel.

Em disputa a 23.ª jornada da Liga NOS, com o Bicampeão e o Paços de Ferreira a olharem-se nos olhos.

Com várias baixas nas duas equipas, na antevisão, ambos os treinadores perspetivaram um duelo interessante. Rui Vitória apontou à conquista de mais três pontos, Jorge Simão avisou que este não iria ser um passeio para os “encarnados”…

Depois da derrota (injusta!) no clássico e da vitória a meio da semana sobre o Zenit (1-0) para as contas da Liga dos Campeões, foi um Benfica de raça aquele que subiu ao relvado da Mata Real.

Os pacenses entraram bem na partida, atrevidos, mas foram as “águias” quem primeiro chegou à vantagem.

Minuto 13’: Combinação entre Carcela e Jonas, o brasileiro dá de calcanhar para o marroquino assistir Mitroglou para o primeiro golo na Mata Real.

Em vantagem, o SL Benfica tinha a iniciativa de jogo, circulava a bola, organizava, construía, face a um adversário a apostar no contra-golpe.

Aos 22’, remate poderoso de Renato Sanches, para grande intervenção de Defendi… na resposta, André Almeida é abalroado e fica mal tratado no terreno, Jorge Ferreira manda seguir o lance e, na sequência do mesmo, Diogo Jota, numa grande jogada individual, remata para o empate.

Em cima do intervalo, grande penalidade sobre Jonas. Na conversão, o brasileiro chamou a si a responsabilidade e, friamente, colocou novamente o SL Benfica em vantagem (justa) no marcador: 1-2.

Triunfo selado pela dupla de centrais

Segunda metade intensa, com as duas equipas separadas por um golo somente, logo, muita luta…

Aos 58’, o terceiro dos “encarnados”. Falta sobre André Almeida, Pizzi cobra na direita e, nas alturas, Jardel assiste Lindelof que, na cara do guardião pacense, remata para 1-3, e para o seu primeiro tento de “águia ao peito”. Mais um golo do melhor ataque da competição, agora com selo dos centrais!

A partir daqui, domínio dos “encarnados”, com uma abordagem muito inteligente ao jogo. Três pontos justíssimos conquistados na Mata Real!

Com este resultado, as “águias” somam 55 pontos e sobem (à condição), à liderança da tabela classificativa, com 18 vitórias, um empate e quatro derrotas, com 63 golos marcados e 17 sofridos.

O SL Benfica alinhou de início com o seguinte onze: Júlio César; André Almeida (Nélson Semedo, 78’), Jardel, Lindelof e Eliseu; Samaris, Renato Sanches, Pizzi (Salvio, 70’) e Carcela; Mitroglou (Raúl, 90+1’) e Jonas.

Na próxima jornada, a 24.ª, o Bicampeão Nacional regressa a casa… e num dia muito especial. Domingo, dia 28 de fevereiro, quando se completa o 112.º Aniversário da Fundação do Glorioso, o SL Benfica recebe a formação do União da Madeira. Esta partida está agendada para as 17h00, no Estádio da Luz.

SA
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

janeiro 11, 2016

CD Nacional – SL Benfica, 1-4


"Ela tem é de entrar"... e entrou!

O Estádio da Madeira, a velhinha Choupana, foi esta segunda-feira palco da 17.ª jornada da Liga NOS. O SL Benfica viajou até à Pérola do Atlântico, tendo a partida, inicialmente agendada para as 20h30 de domingo, sido adiada devido ao intenso nevoeiro que cobriu o recinto… uma situação que se repete e que, mais uma vez, impossibilitou a visibilidade e consequente decorrer do encontro.

O árbitro, Tiago Martins, ainda apitou para o início, contudo, as situações climatéricas agravaram-se, e o jogo foi interrompido aos 7m29s.

Seguiu-se um período de uma hora para perceber se havia ou não condições para reatar o desafio, não havendo, o mesmo acabou por ser adiado para esta segunda-feira.

Faltaram mais golos na 1.ª parte

“Seja no pelado, no alcatrão, na relva com nevoeiro, sem nevoeiro, nós vamos para ganhar e manter esta senda de triunfos. É esse o nosso foco!”

Foi desta forma que Rui Vitória anteviu o encontro, frente a uma equipa “difícil”, bem montada por Manuel Machado, com um “miolo” combativo e extremos abertos a tentar aproveitar todas as transições para surpreender.

No 17.º embate entre as duas formações na Choupana, frente ao 14.º classificado, e depois da goleada caseira imposta na Luz ao CS Marítimo (6-0), o treinador apostou precisamente no mesmo onze de quarta-feira passada.

Reinício de jogo com um canto e bem animado… contra-ataque rápido das “águias”, com Carcela, lançado por Pizzi, a permitir a defesa de Rui Silva. Instantes depois nova oportunidade de golo, desta feita por Lisandro, após um livre, de cabeça, a dar o mote.

O SL Benfica carregava e o golo adivinhava-se! Aos 22’, grande jogada do jovem, Renato Sanches, a cruzar para o coração da área. Jonas surge no local certo, encosta, mas a bola acaba por subir e passar a trave… Incrível!

No minuto seguinte o “artilheiro” redimiu-se! Enorme cruzamento de Carcela e Jonas, de cabeça, a colocar a “redondinha” no fundo das redes. Estava feito o 0-1.

O jogo estava aberto e o Nacional respondeu! Minuto 28’ e Soares, com um remate poderoso testou Júlio César que respondeu com segurança. Na sequência do lance, canto, e o mesmo jogador surge solto a cabecear perigosamente.

Ao intervalo, o SL Benfica estava em vantagem, mas o resultado pecava por escasso…

Jonas e Mitroglou resolveram!

A segunda metade começaria “espevitada”… e com o empate! A defesa “encarnada” tardou em limpar a bola de zona perigosa e Soares, o mesmo que ameaçara o empate nos primeiros 45’, rematou para o 1-1.

Os “encarnados” reagiram prontamente! Cinco minutos volvidos, lançamento lateral de Eliseu, Raúl cruza para a área e Jonas, agora de pé direito, a fazer o 1-2 e a recolocar justiça no marcador.

O melhor marcador das “águias” estava inspirado e não tardou em surgir o “hat-trick”. Minuto 62, assistência de Pizzi e Jonas – de cabeça – a dilatar a vantagem para 1-3.

Em cima do apito final, Mitroglou, recém-entrado na partida, com um remate colocado, sentencia o marcador num 1-4 final.

Vitória justa, da melhor equipa em campo, frente a um adversário que nunca deitou a “toalha ao chão”, num desafio animado e com golos!

Numa jornada em que os principais rivais também somaram três pontos, os “encarnados” mantêm o 2.º lugar da classificação geral, somando 40 pontos (13V,1E,3D), com 45 golos marcados e 11 sofridos.

O SL Benfica alinhou com o seguinte onze: Júlio César; André Almeida, Jardel, Lisandro e Eliseu; Fejsa, Pizzi, Renato Sanches e Carcela (Gonçalo Guedes, 84’); Raúl (Mitroglou, 72’) e Jonas (Talisca, 86’).

No próximo fim de semana há nova deslocação para o Bicampeão, desta feita até ao Estádio António Coimbra da Mota, onde estará em jogo a 18.ª jornada da Liga NOS. O Estoril – SL Benfica, partida que marca o início da 2.ª volta da competição, está marcado para as 20h45 de sábado.

SA
Fotos: Arquivo / SL Benfica