maio 04, 2015

Futsal ergue 6.ª Taça de Portugal



SL Benfica – Fundão, 5-2

Todas as atenções centradas este fim de semana em Sines para a realização da Final Four da Taça de Portugal em Futsal.

Nas meias-finais, disputadas sábado, o SL Benfica eliminou o Sporting (2-1) e o Fundão deixou para trás o Módicus (3-0)…

Encontrados os dois finalistas da competição – curiosamente os mesmos de 2013/14 - a Final teve lugar este domingo, com o Pavilhão Multiusos de Sines e vestir-se de emoção e vermelho bem rubro… é que a “maré vermelha” também “leva ao colo” aos Modalidades e nem o presidente, Luís Filipe Vieira, faltou à chamada!

Frente à formação da Cova da Beira, então detentora do troféu conquistado na época passada ao Glorioso, os comandados de Joel Rocha entraram muito fortes e cedo começaram a pautar as operações.

Primeiro Chaguinha, depois Gonçalo Alves e Rafael Henmi, e Patias a fazer a bola beijar a trave; na resposta, grande defesa de Juanjo, face a um Anilton isolado.

Sem golos, as equipas equipararam-se e o jogo abriu por completo, não fosse o lema desta modalidade “Ataque, contra-ataque”.

Chaguinha e Patias testaram mais uma vez os reflexos de Cláudio Martins e, finalmente, a meio da primeira metade, o primeiro golo da tarde, com Ré, com um remate forte, assistido por Bruno Coelho, a fazer o 1-0.

Ditar a vantagem… com qualidade!

A 3´do intervalo, Mancuso tenta cruzar a bola para a área, mas o guardião beirão aborda mal o lance e acaba por ver o esférico entrar na sua baliza: 2-0.

Antes do descanso, lance estudado, Bruno Coelho serve Ré e o internacional luso não desperdiça, bisa na partida e coloca as “águias” e vencer, por 3-0.

Entrada na segunda metade tirada a papel químico da primeira, com o SL Benfica fortíssimo e a dominar por completo… e com uma vantagem de três golos.

Jogo emotivo, intenso, oportunidades para ambos os lados e a 13’ do fim, grande trabalho de Chaguinha, com Bruno Coelho – que já tinha feito duas assistências no jogo - a rematar sem hipóteses para o 4-0.

Vitória sem contestação

Até ao apito final, Jefferson dilatou para 5-0, Mário Freitas, fez o 5-1 e a um minuto do término da partida o mesmo jogador bisou e reduziu para o 5-2.

Vitória justíssima e sem contestação, face a um adversário que lutou até à exaustão, mostrou o motivo de ser finalista da prova, valorizando ainda mais o triunfo das “águias”.

O SL Benfica entrou em quadra com o seguinte cinco inicial: Juanjo, Chaguinha, Rafael Henmi, Alessandro Patias e Gonçalo Alves.

Para atingir a Final da prova “Rainha” do Futsal, o SL Benfica começou por eliminar o SC Braga (1-4), o Amarense (2-6), o Fátima (3-7) e finalmente o Sporting (2-1).

O SL Benfica mantém-se como o Clube recordista de triunfos na Taça de Portugal, com seis títulos, ao que soma seis Campeonatos Nacionais, sete Supertaças e uma UEFA Futsal Cup... um palmarés invejável!

SA
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

maio 03, 2015

Gil Vicente – SL Benfica, 0-5


Três pontos mais perto…

O SL Benfica venceu, esta tarde, o Gil Vicente, por 0-5, na 31.ª jornada da Liga NOS. Um resultado que permite aumentar a vantagem para seis pontos (à condição) para o segundo classificado e estar três pontos mais perto do objetivo: o Bicampeonato.

Entrada melhor do SL Benfica, acompanhada por um grande ambiente no estádio Cidade de Barcelos. Um estádio com capacidade para 12 mil espectadores que não apareceu lotado mas pouco faltou… Miralem Sulejmani foi a única e grande novidade no onze desta tarde, no lugar do brasileiro Talisca.

Aos 7’, o primeiro indicador do que poderia vir aí, com Lima a cabecear por cima das redes de Adriano, após cruzamento de Maxi Pereira.

Aos 14’, primeira grande oportunidade e primeiro golo. Jonas tocou para Lima, que lançou Sulejmani na área e o sérvio, com muita inteligência, assistiu Maxi Pereira. Estava feito o primeiro golo da tarde e o quarto nas contas do uruguaio para a Liga NOS.

Os minhotos quiseram responder e, aos 19’, obrigaram Júlio César à primeira intervenção da tarde.

O Gil Vicente tentava chegar à baliza do internacional brasileiro, mas numa jogada de contra-ataque conduzida por Gaitán, Jonas aumentou a vantagem para 0-2. O argentino centrou para o segundo poste e o brasileiro, de primeira, rematou sem hipótese para Adriano. Aos 21’, o brasileiro marcou o seu 17.º golo na competição, juntando-se, assim a Jackson Martínez, na primeira posição dos melhores marcadores da Liga.

Perto do final do primeiro tempo, Jorge Jesus viu-se obrigado a mexer na equipa. Com Gaitán queixoso, o técnico fez entrar Fejsa para o lugar do argentino, passando Pizzi para o flanco direito e Sulejmani para o lado oposto.

Mais 45 minutos, mais golos…

Na segunda parte nem houve tempo para respirar. João Capela apitou para o reinício da partida, o SL Benfica saiu a jogar e Luisão fez o terceiro golo da tarde. Na sequência de um canto batido por Pizzi, o capitão cabeceou para o 0-3.

58’ decorridos e mais um golo, desta vez de Lima, ele que já tinha ameaçado as redes de Adriano. Jonas cruzou para o segundo poste, onde surgiu Lima a finalizar de cabeça.

Não satisfeito com o 4-0, o SL Benfica não baixou a intensidade. Aos 69’, Maxi Pereira, na recarga, bisou. Jonas, aos 88', ainda esteve perto do sexto - um golo que lhe permitia liderar a lista de melhores marcadores da Liga - mas estava encontrado o resultado final.

Na próxima jornada, o SL Benfica regressa a casa com a receção ao Penafiel. O encontro está agendado para as 17h00 do dia 9 de maio, com transmissão em direto e exclusivo na BTV.

Jorge Jesus fez alinhar o seguinte onze inicial: Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel e Eliseu; Sulejmani (74’ Talisca), Samaris (76’ Ruben Amorim), Pizzi e Gaitán (42’ Fejsa); Jonas e Lima.

FG
Fotos: Gualter Fatia / SL Benfica

abril 27, 2015

SL Benfica – FC Porto, 0-0


Nulo no clássico!

Estádio da Luz completamente lotado para assistir à 30.ª jornada da Liga NOS. Antes do apito inicial de Jorge Sousa, momentos arrepiantes, com as bancadas da Luz a executarem uma mega coreografia única em Portugal com a voz de Luis Piçarra entoada por 63 534 mil convocados em apoio ao Glorioso.

Separados por apenas três pontos, os dois primeiros classificados entraram em campo cientes da responsabilidade e da importância deste desafio. Algumas caras novas, estratégias muito específicas, mas o mesmo ADN e a mesma ideia de jogo.

Respeito mútuo, intensidade e muita luta no meio-campo… consequência? Jogo de nervos, aquém do expetável, sem qualquer oportunidade de golo clara na primeira metade.

Aos 12’, lançamento de linha lateral de Maxi Pereira, Gaitán isola-se, mas Helton antecipa-se e controla o lance.

Em cima da meia hora, Maxi Pereira ganha a linha a Oliver e conquista o primeiro canto do jogo. Na marcação, Pizzi, centra tenso mas Jardel cabeceia ao lado.

O primeiro remate, digno desse nome, aconteceu aos 34’, com Jackson a atirar por cima da baliza de Júlio César.

Ou seja, três lances, muito pouco(!) a assinalar nos primeiros 45 minutos… Ao intervalo, um óbvio zero a zero!

Equipas anularam-se

Na segunda metade o SL Benfica entrou melhor, mais mandão e, aos 49’, Talisca rematou para defesa de Helton. Aos 54’, mais uma vez Talisca a estar muito perto do golo, com um cabeceamento a passar muito perto da trave portista, depois de cobrança de um livre através de Pizzi.

O jogo abriu e finalmente o espetáculo chegou à Luz! Aos 60’, boa jogada do coletivo, com Pizzi a rematar e a colocar o guardião brasileiro em sentido.

As equipas soltaram-se em busca dos três pontos e os lances de perigo começaram a suceder-se com mais frequência.

Aos 83’, livre cobrado por Gaitán, e Fejsa, no coração da área, remata por cima da trave. Que oportunidade…

Até ao final, as duas equipas anularam-se e não houve golos na Catedral. Com este resultado, o SL Benfica mantém os três pontos de vantagem sobre o rival, isto quando faltam agora quatro Finais até ao término da prova.

O Sport Lisboa de Benfica alinhou de início com Júlio César, Eliseu, Luisão, Jardel e Maxi Pereira; Samaris, Pizzi (André Almeida, 81’), Talisca (Fejsa, 63’) e Gaitán; Lima e Jonas (90+2', Ola John).

No próximo fim-de-semana os comandados de Jorge Jesus deslocam-se a Barcelos, onde vão defrontar a formação do Gil Vicente. Este desafio, relativo à 31.ª jornada da I Liga, está agendado para as 18h00 de sábado, dia de maio.

SA
Fotos: Isabel Cutileiro / Gualter Fatia / João Paulo Trindade / SL Benfica


abril 21, 2015

Hóquei em Patins - SL Benfica – FC Porto, 5-1


SL Benfica é Campeão Nacional!

Grande partida de Hóquei em Patins nesta noite de sábado no Pavilhão Fidelidade completamente lotado! É que a "onda vermelha" também inunda os Pavilhões e leva as Modalidades ao colo!

Frente a frente SL Benfica e FC Porto no clássico da 24.ª jornada do Campeonato Nacional. Clássico que é clássico já por si encerra emoção e competitividade, agora, acrescente a isso o fato de – em caso de vitória – o SL Benfica se poder sagrar Campeão e aí sim estão reunidos os ingredientes para uma noite de verdadeiro Inferno na Luz, daqueles “à antiga”!

E a partida não poderia ter começado melhor para as hostes “encarnadas”. O SL Benfica entrou com tudo e o golo não tardaria… Grande assistência de Carlos López para Diogo Rafael, com um remate poderoso, vencer o duelo com Edo Bosch e fazer o 1-0 para delírio nas bancadas da Luz.

Partida intensa, “rasgadinha”, ânimos ao rubro, com os guarda-redes em grande evidência a negarem num bom par de ocasiões a festa da modalidade, o golo!

A sete minutos e meio do intervalo, Hélder Nunes, em lance individual, coloca o marcador em 1-1, relançando o desafio.

Entrada para a segunda metade tirada a papel químico da primeira, com as “águias” a entrarem com tudo em quadra. Benfica avassalador e quando assim é só há uma consequência… o golo!

Jogada fabricada ao sabor do tango, com Carlos López a servir o compatriota Tuco para este colocar o SL Benfica novamente em vantagem: 2-1, com o Inferno da Luz ao rubro!

Ainda se festejava… e 3-1, desta feita com o homem das duas assistências anteriores a chamar a si a responsabilidade e autoria do 3-1. Espetáculo na Luz, dentro e fora do rinque!

E por falar em espetáculo… 14 minutos para jogar, Tuco “abre o livro” e remata forte de meia distância para o 4-1! Golaço do argentino que assim bisou no desafio.

O SL Benfica desfilava qualidade em quadra e Diogo Rafael, servido pelo capitão, Valter Neves, resolve também ele bisar no encontro, colocando o score em 5-1… contornos de goleada portanto ao apito para o final! Vitória justa e inequívoca!

Com esta vitória, o SL Benfica conquista o seu 22.º título de Campeão Nacional do palmarés, isto quando faltam ainda duas jornadas para o final da prova. 23 vitórias, um empate e nenhuma derrota, 70 pontos… é este o impressionante registo da equipa comandada por Pedro Nunes na competição ao cabo de 24 rondas.

No próximo fim-de-semana o SL Benfica desloca-se a Valongo, numa partida relativa à 25.ª jornada da prova. No fim-de-semana seguinte a competição encerra com a recepção ao HC Tigres.

SA
Fotos: Gualter Fatia / SL Benfica

Belenenses – SL Benfica, 0-2


Eficácia dita três pontos!

Sport Lisboa e Benfica e Belenenses encontraram-se esta tarde de sábado em mais um clássico “alfacinha”, desta feita relativo à 29.ª jornada da I Liga… que é o mesmo que dizer, na primeira das seis “Finais” que faltavam enfrentar até ao términus da competição.

Os “encarnados”, líderes da geral, com mais três pontos de vantagem sobre o 2.º classificado, frente a um Belenenses 6.º da tabela e ainda a sonhar com a qualificação europeia… duas equipas à procura de pontos, com necessidades e responsabilidades bem diferentes!

“Maré vermelha” a responder à chamada e a inundar o Restelo, tarde de sol, relvado em boas condições, reunidos, portanto, todos os ingredientes para um bom espetáculo de Futebol.

E não havia melhor começo! Cinco minutos decorridos desde o apito de Rui Costa, pressão intensa e alta, erro da defensiva dos homens da “Cruz de Cristo”, com Jonas – oportuno - a fazer aquilo que mais gosta, golos! O avançado brasileiro assinou o seu 15.º tento na I Liga e colocou o Benfica a vencer, por 0-1.

Em desvantagem, o Belenenses respondeu aos 22’. Livre direto apontado por Carlos Martins para uma grande defesa de Júlio César.

Partida morna, muito disputada a meio-campo, daí sem grandes lances de espetacularidade ou oportunidades para mais golos. Ao intervalo, 0-1 para o SL Benfica.

Jonas confirmou vitória

Segunda metade e a toada manteve-se. Em cima da meia hora de jogo novo golo das “águias” para mais uma explosão de alegria nas bancadas do Restelo.

Gaitán descobre Jonas com um passe magistral e na cara do guardião Ventura o brasileiro não se fez rogado e rematou para o 0-2 e para o seu 16.º golo na prova. Mais uma vez, oportuno e eficaz!

Já em tempo de descontos, destaque para mais uma grande defesa de Júlio César, a responder a remate colocado de Dálcio.

Apito para o final, vitória benfiquista, mais três pontos conquistados… faltam cinco “Finais”!

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César; André Almeida, Luisão, Jardel e Eliseu; Samaris (88', Ruben Amorim), Pizzi, Gaitán e Ola John (72’, Talisca); Jonas (81’, Fejsa) e Lima.

No próximo fim-de-semana todas as atenções centradas no clássico dos clássicos luso! Sport Lisboa e Benfica e FC Porto encontram-se na 30.ª jornada da I Liga, uma partida agendada para as 17h00 de domingo, no Estádio da Luz.

Separados por três pontos, os dois primeiros classificados da tabela classificativa jogam uma cartada decisiva para as contas do título nacional.

SA
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

abril 13, 2015

SL Benfica conquista Torneio da Premier League


Após derrotar o Chelsea

A equipa Sub-14 venceu, na Final, o Chelsea por 2-0 e levantou o troféu no Seixal.

Este fim de semana ficou marcado pela realização, no Caixa Futebol Campus, da Taça Amizade, um torneio de preparação no escalão Sub-14 organizado pela Premier League Academy, que escolheu o SL Benfica para acolher o evento.

Para além do Benfica, marcaram, ainda, presença o Chelsea, o Reading e o Atlético de Madrid.

Depois de ter ganho por 2-1 o Reading e o Atlético de Madrid por 5-0, este domingo, a equipa da casa marcou presença na Final onde bateu os “blues” de Londres por 2-0. No jogo dos 3.º e 4.º lugares, o Reading venceu o Atlético de Madrid por 4-1.

Esta foi a 2.º conquista do Clube em três finais de Torneios da Premier League.

No final do Torneio realizado no Seixal, Dean Smith, da Premier League Academy, teceu rasgados elogios ao Centro de Formação e Treino do Sport Lisboa e Benfica. “O Caixa Futebol Campus é absolutamente fantástico, tem condições ao nível dos melhores clubes, as pessoas são muito simpáticas e receberam-nos muito bem e os campos de treinos são de primeira classe, algo que até o Chelsea e o Reading comentaram. O Benfica venceu e julgo que é um justo vencedor”, sublinhou, em declarações à BTV.

O diretor-geral do Caixa Futebol Campus, Armando Jorge Carneiro, também se mostrou orgulhoso pelo sucesso do Torneio e da equipa Sub-14 do Clube que levantou o troféu. “Foi uma excelente organização da Premier League que apoiámos desde a primeira hora. O resultado foi interessante, porque vencemos e esta equipa tem feito um ótimo trajeto. Tivemos os nossos jovens a competir ao mais alto nível, na nossa casa, e isso deixa-nos satisfeitos”, destacou também à BTV.

O crescimento do Futebol Formação no Benfica é uma realidade como se comprova nos compromissos que aí vêm. “Isto é incentivo para tentarmos melhorar ainda mais o nosso projeto do Futebol Formação. Este ano vamos estar em 20 países e em 52 torneios internacionais por esse Mundo fora. Isso atesta a nossa grandeza e como é vista a nossa Formação”, revelou o dirigente Benfiquista.

Resultados do SL Benfica no Torneio da Premier League:

Benfica – Reading, 2-1
Benfica – Atlético de Madrid, 5-0
Benfica – Chelsea, 2-0

MR
Fotos: Gualter Fatia / SL Benfica

Voleibol cai de cabeça erguida na Challenge Cup


SL Benfica – Vojvodina NS Seme, 3-2

Um Pavilhão n.º 2 da Luz a rebentar pelas costuras foi o que se viu este domingo, na 2.ª mão da Final da Challenge Cup. As equipas de Voleibol do Sport Lisboa e Benfica e do Vojvodina NS Seme mediram forças, com os sérvios a levarem a melhor e a conquistarem o troféu.

Do primeiro ao quinto “set”, os 1700 espectadores não pararam de cantar e apoiar a equipa mesmo depois de já nada poder conquistar. Dois parciais depois, ninguém arredou pé das bancadas, a Mística reergueu-se e a Europa do Voleibol percebeu o significado de “Ser Benfica!” num ambiente inexplicável e que apenas poderá ser sentido.

No 1.º “set”, o equilíbrio foi a nota dominante. O Vojvodina NS Seme esteve praticamente todo o tempo na frente do marcador, sem que o Benfica os deixasse descolar. Aquando do primeiro tempo técnico, 6-8 para a turma sérvia, situação que se manteve no segundo (15-16). Os comandados porJosé Jardim ainda recuperaram, levaram o jogo até às vantagens, mas acabaram derrotados por 24-26.

O parcial seguinte foi bem mais complicado para os lados da Luz. Vários erros ao nível do serviço e no ataque permitiram um grande fosso no marcador. As “águias” ainda esboçaram a recuperação, mas já não foram a tempo, perdendo por 21-25, depois de 4-8 e 13-16 nos dois tempos de descanso.

Já com a Challenge Cup no bolso, o Vojvodina NS Seme entrou mais descontraído no 3.º “set” e no primeiro tempo técnico, o Benfica vencia por 8-4, vantagem que se manteve do mesmo lado no segundo (16-13). Até final, a turma da casa manteve a toada forte, os índices de concentração e acabou por vencer por 25-16.

Tal como ocorrera no “set” anterior, também no 4.º parcial o Benfica mostrou o seu melhor voleibol e foi para o primeiro tempo de descanso na frente por 8-6. Mais solto no ataque e serviço, o jogo fluiu e no segundo tempo técnico, o Benfica já vencia por 16-13, vantagem que manteve até final do parcial (25-23).

Na “negra”, e por uma questão de orgulho, o Benfica entrou forte e fez questão de, pelo menos, vencer o desafio. O 5.º “set” fechou nos 15-10. Apesar da vitória por 3-2, o Vojvodina NS Seme conquistou a Challenge Cup.

No final da 2.ª mão da Final da Challenge Cup, Zelão foi considerado o MVP.

Não podemos, todavia, esquecer o comportamento deplorável de Mihalo Stankovic que esteve todo o desafio a provocar os jogadores e público Benfiquistas perante tamanha passividade da dupla de arbitragem.

Até à Final, o SL Benfica eliminou o CV Andorra, o Partizan, a Fonte do Bastardo, o Ethnikos e o CMC Ravenna. Agora segue-se o play-off da Final do Campeonato Nacional diante da Fonte do Bastardo com o “Tri” no horizonte.

Marco Rebelo
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

SL Benfica – Académica, 5-1



Arrebatador!

O SL Benfica venceu, este sábado, a Académica de Coimbra (5-1), na 28.ª jornada da Liga NOS.

O pedido foi feito e os adeptos acederam prontamente. A “onda vermelha” voltou à Luz e a equipa comandada por Jorge Jesus respondeu com cinco golos e uma exibição de luxo perante os 56.197 mil espectadores.

Entrada avassaladora que cedo começou a dar frutos. O SL Benfica entrou pressionante e a tentar encostar os “estudantes” à sua grande área.

E só foi preciso esperar sete minutos para se assistir à primeira “explosão” nas bancadas. Pizzi cruzou da direita e Jardel cabeceou para os fundos das redes da baliza de Cristiano. Estava feito o 1-0 e o quarto golo do central.

Quatro minutos depois, aos 11’, foi Jonas que fez levantar o público. Depois do cruzamento de André Almeida – uma das novidades do onze, para o lugar do castigado Eliseu – o avançado brasileiro, de cabeça, voltou a faturar.

Apesar dos dois golos de rompante, a pressão não abrandou. Aos 19’, Luís Ferreira assinalou falta cometida sobre Lima dentro da área. O brasileiro não desperdiçou e rematou para o 3-0. O SL Benfica chegava ao intervalo com o jogo resolvido, depois de uma fortíssima entrada em campo.

No segundo tempo, o brilho manteve-se. Aos 53’, passe de André Almeida para o brasileiro Jonas que voltou a colocar a bola fora do alcance de Cristiano (4-0).

Aos 61’, as bancadas da Catedral levantaram-se para aplaudir Fejsa, o sérvio que, onze meses depois, voltou a pisar o relvado do Estádio da Luz. Entrou para o lugar de Andreas Samaris.

A formação orientada por Jorge Jesus voltou a acelerar o ritmo e os “estudantes” tiveram enormes dificuldades para evitar os lances de perigo na baliza de Cristiano. Aos 79’ foi Rafael Lopes quem marcou o golo de honra da Académica de Coimbra.

Regressou e marcou. Aos 84', o pontapé fulminante do jogador que regressou à equipa A um ano e duas operações depois fechou o resultado nos 5-1.

Aos 86’, mais uma novidade. Jonathan Rodriguéz entrou, pela primeira vez ao serviço da equipa principal, para o lugar de Jonas.

Na próxima jornada, o SL Benfica vai até ao Restelo encontrar o Belenenses, numa partida marcada para as 18h00 de sábado, 18 de abril.

Alinharam de início: Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, André Almeida; Samaris (Fejsa, 61’), Pizzi, Salvio (Ola John, 72’), Gaitán; Jonas e Lima.

FG
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica