janeiro 25, 2015

Miklos Fehér partiu há 11 anos



Para sempre o… 29

Onze anos depois as memórias e as saudades permanecem vivas. Miklos Fehér é recordado pelos adeptos portugueses e pelo povo húngaro após a sua morte em pleno campo de jogo, em 2004.

Neste domingo, dia 25 de janeiro, cumprem-se 11 anos da morte de Miklos Fehér e como tal, seria impossível esquecer esta data que tanta dor provocou no Universo do Sport Lisboa e Benfica e também no restante seio futebolístico.

Ninguém esquece aquele momento, um cartão amarelo do árbitro, a seguir um sorriso completado com uma mão a soltar o cabelo, o inclinar com as mãos sobre os joelhos e o cair inanimado. É esta a sequência que ficou na memória de quem viu e assistiu aos minutos finais do jogo entre o Vitória de Guimarães e o Benfica, que decorreu no estádio D. Afonso Henriques. Este foi o jogo que marcou a 20.ª jornada da época 2003/04 do Campeonato Nacional.

O jogador de 24 anos partiu cedo demais, vítima de uma paragem cardíaca, deixando para trás um futuro promissor. Este acontecimento deixou marcas no Clube da Luz que desde então realizou iniciativas para homenagear o jogador.

Um ano após a sua morte o Benfica, em sua memória, colocou um busto de Miklos Fehér no átrio da porta 18 do Estádio da Luz. O número 29 foi retirado do plantel e nenhum outro futebolista o poderá vestir, sendo assim Miki o último a envergar esta camisola desde 2002, ano em que chegou à Luz. No final da época, o Benfica ganhou a Taça de Portugal e dedicou-a a Fehér.

Outra forma de homenagem foi a instituição do prémio Miklos Fehér, uma parceria entre a antiga escola do jogador, em Goyr, e o Sport Lisboa e Benfica, que todos os anos distingue professores e alunos que sobressaiam em diversas áreas nessa escola, o que os traz anualmente a Lisboa.

O atleta continua a ser recordado pelo Clube. No ano passado, por exemplo, a equipa de Juvenis do Sport Lisboa e Benfica, que venceu o torneio Audi Hungria ETO U16 Football Cup, em Goyr, visitou o túmulo de Miki, deixando uma coroa de flores.

Na cidade natal, os pais do ex-jogador abriram um museu onde estão expostas todas as conquistas do avançado. O Gyor Eto FC, clube que descobriu o talento do desportista construiu uma Academia de Futebol e um colégio, em sua homenagem. Anualmente, em sua memória, é realizado um jogo que junta várias estrelas locais, em Dezembro.

FC

janeiro 23, 2015

Programa DAE do SL Benfica


Programa DAE do SL Benfica foi apresentado esta 5.ª feira na Luz


A Tribuna Presidencial do Estádio da Luz recebeu, esta tarde de quinta-feira, o lançamento do programa DAE (Desfibrilhação Automática Externa) do Sport Lisboa e Benfica.

O evento contou com a presença de João Paulo Almeida, director clinico SL Benfica, Carlos Lisboa, director-geral modalidades SL Benfica, Nuno Gomes, Paulo Amado de Campos, presidente do INEM, e Marco Castro, director-geral DAE Express e Rui Pereira, director de Prevenção, Segurança e Organização de Jogos.”

O Sport Lisboa e Benfica passa a ter 19 desfibrilhadores automáticos externos (DAEs), localizados no Estádio do Sport Lisboa e Benfica (total de 5 DAEs), Museu Cosme Damião (1 DAE), Pavilhões Desportivos do Estádio do Sport Lisboa (1 DAE), Complexo de Piscinas EDP (1 DAE), Área Comercial do Estádio da Luz (1 DAE), Campo dos Pupilos do Exército (1 DAE) e Centro de estágios Caixa Futebol Campus (9 DAEs) e conta com 36 colaboradores do SL Benfica, bem como com os Bombeiros Voluntários Lisbonenses e os Bombeiros Mistos do Seixal, num total de 152 Operacionais DAE habilitados a utilizar os DAEs em caso paragem cardiorrespiratória. Estes Operacionais receberam formação específica em Suporte Básico de Vida e Desfibrilhação Automática Externa. O programa DAE está licenciado pelo INEM.

Os DAEs são dispositivos electrónicos portáteis que em situações de paragem cardiorrespiratória analisam o ritmo cardíaco e nas situações indicadas aplicam um choque eléctrico com o intuito de se retomar um ciclo cardíaco normal e assim evitar a morte da vítima.

A paragem cardiorrespiratória de origem cardíaca é a principal causa de mortalidade nos países desenvolvidos. Em Portugal estima-se que ocorram 10.000 casos todos os anos acontecendo quase sempre de forma súbita, inesperada e fora do meio hospitalar. Na grande maioria dos casos o único tratamento eficaz é a desfibrilhação eléctrica (choque) e o factor mais importante para o sucesso da intervenção é o tempo que decorre entre o colapso da vítima e o início de manobras de Suporte Básico de Vida e a utilização de um desfibrilhador.

Em Portugal a taxa de sobrevivência de uma vítima de paragem cardiorrespiratória presenciada é inferior a 3% (1). Este valor compara com uma taxa de sobrevivência de 74% em locais com Programas DAE (2).

O Sport Lisboa e Benfica conta com o apoio da DAE Express para assegurar o responsável médico do Programa DAE, o controlo de qualidade e a formação dos Operacionais DAE. Os modelos formativos seguidos foram o da American Heart Association e do INEM.

A DAE Express é a empresa n.º 1 a nível nacional em Implementação e Manutenção de Programas DAE, contando até final de 2014 cerca de 400 desfibrilhadores instalados e mais de 4000 pessoas formadas em Suporte Básico de Vida e DAE.

A DAE Express e o Sport Lisboa e Benfica vêm com este Programa DAE contribuir para o desenvolvimento da rede de desfibrilhação automática externa no território português.

Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

Futebol Formação


Futebol Formação: Seis Juniores renovaram contratos até 2021

Esta quinta-feira fica marcada pela renovação de contrato de seis atletas Juniores do Sport Lisboa e Benfica. André Ferreira, Gilson Costa, Hildeberto Pereira, João Lima, Ricardo Carvalho e Kevin Oliveira prolongaram a ligação contratual com o Clube até 2021.

“Sempre foi um sonho de criança! Sempre tive a ambição de chegar a um grande Clube, e consegui, estou no Benfica. Sempre estive muito focado nesse objectivo. Agradeço muito por esta concretização. O próximo objectivo agora é ajudar a minha equipa a vencer”, começou por dizer o guarda-redes, André Ferreira.

Para o médio, Gilson Costa, esta renovação traz ainda maior responsabilidade: “É com bons olhos que eu vejo esta renovação. Este contrato aumenta a responsabilidade”, enquanto o avançado, Hildeberto Pereira, revela um enorme orgulho: “Esta renovação é um orgulho. Principalmente por continuar neste grande Clube”, afirmou.

“Acho que isto é o reconhecimento do meu trabalho. Não vou ficar por aqui. Nós sentimos muito o apoio dos adeptos”, enalteceu o defesa, João Lima.

Por seu turno, Ricardo Carvalho, defesa, mostrou-se satisfeito e enalteceu o grupo de trabalho.

“O pensamento de sempre é trabalhar e ajudar a equipa. Esta renovação é muito boa para mim, é fruto do meu trabalho, é um grande reconhecimento”, disse, enquanto a fechar, o médio, Kevin Oliveira, não escondeu a alegria.

”Tenho muito orgulho, assim como a minha família, por ter assinado um contrato desta dimensão. Sempre esperei por este momento. Apesar de ter estado muito tempo sem jogar, nunca deixei de acreditar, trabalhei muito e hoje estou aqui”, concluiu.

Todos os atletas são internacionais portugueses, com excepção de Kevin Oliveira, também ele internacional mas por Cabo Verde.

Os seis atletas renovaram contrato com o Sport Lisboa e Benfica até 2021.

FC/SA
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

janeiro 21, 2015

Moreirense – SL Benfica, 0-2


Moreirense – SL Benfica, 0-2: Defesa do troféu segue nas "meias"

3.ª Jornada do Grupo A

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica garantiu, na noite desta quarta-feira, no estádio Comendador Joaquim Almeida Freitas, a passagem para as meias-finais da Taça da Liga após vencer o Moreirense por 0-2. A 3.ª fase foi terminada só com triunfos, com sete golos marcados e nenhum sofrido.

Em Moreira de Cónegos percebeu-se aquilo que já se tinha visto na visita do Moreirense à Luz. Não ia ser fácil, e não foi! Desde os minutos iniciais, a equipa da casa exerceu uma pressão grande sobre o portador da bola a toda a largura do terreno. Por sua vez, o Benfica – com algumas mexidas no onze face ao apresentado na Madeira – tentou sair a jogar com a bola controlada, seja pelo meio, seja pelas alas, com tabelinhas curtas que abrissem espaços para a finalização.

Sem grandes oportunidades de parte a parte, os primeiros “frissons” foram criados por Arsénio aos 17’ e aos 18 minutos. Em ambas as situações, Artur respondeu bem. À passagem do minuto 23, Derley fez uma incursão pela esquerda, entrou na área e no frente-a-frente com Danielson caiu. O árbitro Jorge Tavares optou por mostrar cartão amarelo ao avançado por simulação, mas a verdade é que se nota um toque de Danielson no pé esquerdo do Benfiquista.

A circulação de bola do Benfica com eficácia de passe e rapidez obrigou o Moreirense a baixar as linhas a partir da meia hora. O esférico rondou a área de Marafona com maior intensidade, como foi o caso aos 33’, com o remate de Luisão um tudo-nada ao lado. O perigo acercava-se e acentuou-se aos 42 minutos com o remate cruzado de Jonas que passou a centímetros do poste da baliza minhota.

Ao intervalo era o nulo que reinava em Moreira de Cónegos. Após um reatamento algo incaracterístico, Jonas deu um pontapé no marasmo e obrigou Marafona a estirada vistosa (54’). Da ameaça ao golo houve um hiato de 10 minutos. O camisola 17 combinou com Derley e rematou em jeito sem hipóteses de Marafona que ficou a olhar para a bola a aninhar-se nas redes.

A vencer parece que tudo corre ainda melhor. Aos 68 minutos, Derley trabalhou bem e só com Marafona pela frente picou-lhe o esférico para o 0-2. O Moreirense sentiu os tentos sofridos, ficou nervoso e podiam as “águias” aproveitar para ampliar o resultado. Derley esteve muito próximo de bisar aos 75’, mas o guardião contrário defendeu por instinto.

Foi a 10 minutos do fim e já com Gonçalo Guedes em campo que o Benfica poderia ter feito o 0-3. O jovem português centrou e Pizzi rematou para a baliza sem Marafona, mas um defesa do Moreirense cortou sobre a linha de golo.

Até final nada de significativo aconteceu e o Benfica fica agora à espera do adversário nas meias-finais da Taça da Liga.

O Sport Lisboa e Benfica alinha com o seguinte onze: Artur Moraes; André Almeida, Luisão, Jardel e Eliseu (Sílvio, 45’); Cristante, Pizzi, Ola John e Sulejmani (Samaris, 52’); Derley e Jonas (Gonçalo Guedes, 73’).

Marco Rebelo
Fotos: Gualter Fatia / SL Benfica

janeiro 19, 2015

Paulo Gonçalves 2.º lugar no Dakar


Paulo Gonçalves: “Mística do Benfica acompanhou-me no Dakar”

Conquistou o 2.º lugar na prova

Paulo Gonçalves, Campeão do Mundo de Rally Todo-o-Terreno em 2013 e Vice-Campeão em 2014, conquistou o 2.º lugar na edição de 2015 do Rally Dakar, depois de mais uma intensa disputa pela vitória até ao último dia com o agora vencedor por cinco ocasiões da mítica prova, o espanhol, Marc Coma.

No final da competição, o piloto português da Honda que levou as cores do SL Benfica ao Dakar’2015, destacou a importância do apoio do Clube e dos Benfiquistas em mais um feito.

"Orgulhoso e grato pelo trabalho da minha equipa e pelo apoio de todos os portugueses. A Mística de vitória do Sport Lisboa e Benfica acompanhou-me sempre neste Dakar!", afirmou Paulo Gonçalves.

O piloto português chega amanhã, segunda-feira, ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto. Está estimada a chegada ao aeroporto às 16h35, num voo proveniente de Madrid (Iberia IB 8722), estando depois agendada uma Conferência de Imprensa no mesmo local cerca das 17h30.

SA
Fotos: Arquivo / SL Benfica

janeiro 18, 2015

Marítimo – SL Benfica, 0-4


Marítimo – SL Benfica, 0-4: Goleada com “nota artística”
17.ª jornada da Liga portuguesa

No meio do Atlântico, a exibição da equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica foi uma pérola para os olhos de quem pôde ver. Golos para todos os gostos, pressão alta, combinações maravilhosas. Enfim… “Nota artística” em todo o seu esplendor. Resultado? 0-4 para o líder da classificação.

Ponto prévio: Bancada sul inaugurada nesta partida, excelente moldura humana… Tudo reunido para um interessante jogo de Futebol.

O equilíbrio foi a nota nos minutos iniciais, com o Benfica a ter mais bola e estar mais perto de ser feliz, nomeadamente através do livre directo superiormente marcado por Jonas ao qual José Sá correspondeu com intervenção vistosa. Minutos antes já Gaitán se tinha queixado de dores. Foi substituído por Ola John.

Ironia do destino! O holandês fez um passe magistral aos 18 minutos para Salvio. O argentino teve uma recepção de bola exemplar e bateu José Sá. Inaugurado o “placard” no estádio do Barreiros.

Com o tento viu-se ainda mais Benfica e menos Marítimo. O cerco à área insular intensificava-se e a atenção da defensiva contrária era testada. Jonas, Lima, Salvio, Ola John ou Talisca abriam constantes brechas perto do último reduto do Marítimo. Porém, alguma cerimónia teimava em adiar o remate certeiro que levaria para o 0-2. Ao intervalo, o 0-1 até parecia curto face ao que se viu nos primeiros 45 minutos no relvado do estádio dos Barreiros.

Em antítese, na segunda metade, o Marítimo entrou melhor, subiu as linhas e encurtou os espaços para o Benfica explanar o seu Futebol. Todavia, foram as “águias” a facturar. José Sá mal num alívio após um atraso de bola, Talisca recebeu e conduziu até endossar a Ola John, que à saída do guardião “picou-lhe” para o 0-2 (53’).

A partir daqui, muita emoção nos Barreiros. À passagem do minuto 57, Jonas descobriu Salvio na meia direita, com o camisola 18 a rematar cruzado, batendo, inapelavelmente, José Sá. No minuto seguinte, Danilo, do “meio da rua”, disparou com intencionalidade e o esférico bateu na barra. Referência para o desvio de Júlio César com os dedos, fundamental que o conjunto da casa não reduzisse.

Se dúvidas houvessem, a “nota artística” chegou para trazer a goleada. Triangulação perfeita entre Jonas e Salvio, com o argentino a soltar para Lima na área, que atirou a contar (63’).

Daí até final, o Benfica controlou a partida a seu bel-prazer, fixando-se na posição cimeira da tabela classificativa com 46 pontos. Segue-se a Taça da Liga, com o Moreirense, na quarta-feira.

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel e Eliseu; Samaris, Gaitán (Ola John, 15’), Salvio e Talisca; Lima (Pizzi, 67’) e Jonas (Derley, 79’).

Marco Rebelo

janeiro 14, 2015

SL Benfica – Arouca, 4-0


SL Benfica – Arouca, 4-0: Líder firme no Grupo A da Taça da Liga
2.ª jornada

Sport Lisboa e Benfica e Arouca defrontaram-se esta noite de quarta-feira, no Estádio da Luz, numa partida relativa à 2.ª jornada da 3.ª Fase da Taça da Liga. Pizzi, Cristante, Salvio e Jonas assinaram os golos de mais uma vitória – natural e justa - dos “encarnados”.

Jorge Jesus dissera-o na antevisão a esta partida! A Taça da Liga é também uma forma de abrir a porta a outros jogadores, dando-lhes minutos, ritmo e intensidade. E o onze inicial com que o SL Benfica subiu ao relvado da Luz ilustrou-o na perfeição, com muitas caras novas cheias de vontade em mostrar serviço… e mostraram!

Gonçalo Guedes, aos 9’, César, aos 12’, Maxi, aos 17’, Sulejmani, aos 27’… iam dando sinais claros que o golo não tardaria em surgir, com o SL Benfica a dominar e a controlar as operações desde muito cedo.

Em cima da meia hora, grande jogada de entendimento colectivo, com Pizzi a descobrir Maxi Pereira, com o uruguaio, bem ao seu estilo, a ir à linha e cruzar para o coração da área onde, Rui Fonte, no momento em que ia rematar para o golo, a sofrer falta claríssima de Dabó.

Em cima do lance, Bruno Esteves não teve dúvidas, apontou para a marca dos 11 metros e expulsou o jogador do Arouca.

Chamado à conversão, Pizzi, com tranquilidade, faz a paradinha e assina o primeiro golo da noite na Catedral.

Em vantagem numérica e também no score, o SL Benfica soltou-se por completo e partiu com tudo para cima da baliza do Arouca, esta noite à guarda de Rui Sacramento.

Aos 41’, o segundo golo da noite acabou por surgir de forma natural face ao produzido e à corrente do desafio. Cristante, de meia distância, rematou de forma poderosa e sem hipóteses de defesa para o 2-0 com que se atingiu o intervalo.

Mais golos? Só em cima do apito final!

Segunda metade e a toada manteve-se com as – muitas e para todos os gostos e feitios! – oportunidades de golo a surgirem em catadupa. Apesar da intensidade, só aos 82’ e 83’ se festejou… e logo a dobrar! Primeiro Salvio, depois Jonas, a colocarem o resultado final em 4-0, em dois lances de classe.

Contas feitas, vitória justíssima da equipa que dominou por completo todas as incidências e áreas do desafio: maior posse de bola, mais remates, mais oportunidade, mais cantos… mais golos!

Com este resultado, e depois da vitória na ronda inaugural frente ao Nacional (1-0), o SL Benfica, assume a liderança do Grupo A da Taça da Liga (prova que já venceu em cinco ocasiões!), seguido de Moreirense, Nacional e Arouca, respectivamente.

Para seguir para as meia-finais da prova, basta à equipa de Jorge Jesus um empate em Moreira de Cónegos, na 3.ª e última ronda desta Fase de Grupos.

O SL Benfica alinhou de início com Artur Moraes; Maxi Pereira, Jardel, César (Benito, 68’) e Sílvio; Cristante, Pizzi, Sulejmani e Gonçalo Guedes (Salvio, 45’); Derley e Rui Fonte (Jonas, 45’).

Depois do encontro com o Arouca, os Campeões Nacionais voltam aos jogos da I Liga. O Marítimo é o adversário da 17.ª jornada, num desafio agendado para as 18h00 do dia 18 de Janeiro, domingo, no estádio dos Barreiros.

SA
Fotos: Gualter Fatia / SL Benfica

janeiro 13, 2015

SL Benfica – V. Guimarães, 3-0


SL Benfica – V. Guimarães, 3-0: Vitória de Mística para o Rei!
15.ª jornada da Liga portuguesa

Em dia de homenagem ao Rei, nada melhor que uma vitória “à Benfica”, uma vitória como aquelas que ele tantas vezes festejou e para as quais contribuiu! Num Estádio da Luz engalanado, vibrante, o SL Benfica recebeu e venceu esta tarde de sábado o Vitória de Guimarães, por 3-0, com golos de Jonas, Ola John e Gaitán. Vitória justíssima, de uma equipa plena de Mística!

Tarde de sol na capital de Portugal, com cerca de 50 mil Benfiquistas a vestirem a Catedral de vermelho rubro, vermelho paixão… num dia de emoções! Objectivos? Vencer, manter a liderança da I Liga e homenagear Eusébio da Silva Ferreira, falecido a 5 de Janeiro de 2014.

E foi um Benfica de personalidade, pleno de Mística, e ciente das suas responsabilidades, com várias mexidas no onze inicial (devido a lesões e castigo) aquele que subiu ao relvado da Luz na disputa da 16.ª jornada da I Liga.

Entrada dominadora, intensa e de raça… o mesmo que dizer uma entrada a pedir golo… e, quando assim é, o golo não tarda em aparecer.

13 segundos e a primeira oportunidade, com Jonas, isolado, a permitir a defesa a Assis. Seis minutos volvidos, primeiro Gaitán, depois André Almeida, a “cheirarem” o golo… e a festa chegaria aos 13’. Livre na direita, cobrado com conta, peso e medida por Gaitán, e Jonas, “à matador”, em voo picado cabeceia para o primeiro golo da tarde. Estava feito o 1-0.

Em vantagem, os “encarnados” carregavam com tudo e, não fossem os ferros da baliza vimaranense, ao intervalo o resultado seria bem mais dilatado: Gaitán, aos 20’; Talisca, aos 28’ e Jonas, aos 34’, viram os postes dizer não ao golo.

Aos 40’, destaque para uma grande defesa, a dois tempos, de Júlio César, a garantir o 1-0, escasso, com que se chegou ao descanso.

Resolver cedo… com qualidade!

Na segunda metade resposta do 3.º classificado da I Liga, mas sem consequências, com os “encarnados” a resolverem de pronto e a manterem o controlo das operações com serenidade.

Minuto 54’, Lima ganha a linha, cruza e Ola John, à segunda, remata de forma poderosa e sem qualquer hipótese de defesa para o 2-0.

Dilatada a vantagem, o ritmo de jogo diminuiu, mas a intensidade manteve-se, com o SL Benfica sempre mais perto de fazer o 3-0 do que sofrer qualquer golo… o que acabaria por acontecer.

Em cima do apito final, o 3-0. Salvio assiste Gaitán que, livre de marcação, coloca o marcador num 3-0 que, face ao produzido, acaba por ser natural.

Contas feitas, mais três pontos, liderança isolada assegurada, vitória justa de uma equipa plena de inteligência e Mística – como o Rei tanto gostava! – face a um Vitória de Guimarães que até tentou, mostrou qualidade, mas foi impotente face a este Benfica.

Já na próxima quarta-feira abre-se uma nova janela competitiva, com a Taça da Liga a surgir na agenda “encarnada”. O SL Benfica recebe a equipa do Arouca, numa partida relativa à 2.ª jornada da 3.ª Fase da prova, agendada para as 20h45, no Estádio da Luz.

No próximo fim-de-semana joga-se a 17.ª jornada do Campeonato Nacional, com o SL Benfica a viajar até à Pérola do Atlântico, onde vai defrontar a formação do Marítimo. Este desafio está agendado para as 18h00 de domingo, no Estádio dos Barreiros.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Júlio César; André Almeida, César, Jardel e Eliseu; Samaris, Gaitán, Ola John (83’, Salvio) e Talisca (88’, Sulejmani); Lima e Jonas (78’, Cristante).

SA
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

janeiro 06, 2015

Sábado, às 17h00, todos à Luz para homenagear o KING


Sábado, às 17h00, todos à Luz para homenagear o Pantera Negra
SL Benfica - V. Guimarães

Foi no passado dia 5 de Janeiro de 2014 que partiu o ícone maior do Futebol do Sport Lisboa e Benfica e português, Eusébio da Silva Ferreira. Um ano após o falecimento do Pantera Negra, o Clube da Luz homenageia o "King" no jogo com o V. Guimarães. Não fique de fora! Venha à Catedral e engrandeça este acontecimento.

O SL Benfica - V. Guimarães está agendado para as 17h00 do próximo sábado.



Vamos lá estar Bancada MEO piso 0 Sectror 16  na homenagem ao KING Eusébio.



janeiro 04, 2015

Penafiel – Benfica, 0-3



Penafiel – Benfica, 0-3: Jogo de sentido único e vitória categórica
15.ª jornada da Liga portuguesa

O Sport Lisboa e Benfica entrou em 2015 a vencer tal como pedira Jorge Jesus. Pragmática, voluntariosa e unida, a equipa da Luz alcançou um triunfo confortável por 0-3, em jogo da 15.ª jornada do Campeonato Nacional.

Um mar, maioritariamente, vermelho encheu o estádio Municipal 25 de Abril e viu um jogo que começou vivo, com as duas equipas a disputarem cada bola como se fosse a última e a não se esquecerem de se aproximar das áreas. Nem sempre com “nota artística” mas com muita intensidade, o jogo teve um início interessante.

Após os primeiros 10 minutos jogados a bom ritmo, o jogo pausou. Porém, o Benfica tentou dar um “safanão” no desafio através de Ola John que se esgueirava para a área quando foi derrubado por Vítor Bruno à entrada desta. Paulo Baptista errou ao mandar seguir (13’). Sete minutos volvidos, o holandês de novo em jogo. Cruzou, Coelho largou o esférico e Jonas só não marcou porque o guardião foi a tempo de afastar para canto.

O jogo entrou depois numa toada algo “mastigada” e com poucas oportunidades de parte a parte. Contudo, aos 37 minutos, Gaitán lançou Lima em profundidade, este tirou um trabalho fenomenal da cartola e assistiu Talisca para o 0-1. Euforia nas bancadas do Municipal 25 de Abril.

Motivadas pelo golo, as “águias” foram atrás do segundo que poderia ter chegado por Gaitán, aos 45’+1, num remate surpreendente do meio da rua e que passou a centímetros da baliza de Coelho.

No reatamento, a partida teve largos minutos de Futebol longe das áreas e muito disputado no “miolo”. Estranho, se pensarmos que os durienses a perderem em casa deveriam tentar jogar para empatar mas não o fizeram. Pior ficaram quando, aos 64 minutos, Tony recebeu ordem de expulsão após ver o segundo cartão amarelo. Aproveitou Talisca quatro minutos depois para testar a pontaria. O remate saiu forte, mas à figura de Coelho.

Com menos um, o Penafiel abdicava de atacar, as suas linhas recuavam cada vez mais e adivinhava-se mais um tento para os da Luz que acabou por acontecer aos 78 minutos por Jonas. Ola John iniciou a jogada, deixou para Maxi Pereira que centrou para o brasileiro encostar com o peito. O 0-3 esteve perto de aparecer aos 85’ após o remate perigoso de Ola John, mas acabou por acontecer dois minutos volvidos por Jardel, que correspondeu da melhor forma a pontapé de canto batido por Gaitán.

O Benfica alcança os 40 pontos na classificação e volta a ter seis pontos de vantagem sobre o 2.º classificado.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze inicial: Júlio César; Maxi Pereira, Lisandro, Jardel, André Almeida; Cristante, Talisca, Ola John (Sulejmani, 89'), Gaitán; Lima (Gonçalo Guedes, 90') e Jonas (Derley, 89').

Marco Rebelo
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

dezembro 31, 2014

Feliz Ano Novo



O Blog Catedral Encarnada deseja um Feliz Ano de 2015 

Águias vistas como o clube que melhor negoceia no Mundo


VENDAS NOS ÚLTIMOS ANOS EM GRANDE DESTAQUE

A recente venda de Enzo Pérez para o Valencia por 25 milhões voltou a deixar evidente a capacidade negocial do Benfica, cujo desempenho nesta área foi destacado na América do Sul, mais concretamente no site "Pasion Libertadores".

Aqui, é feita referência ao facto de nos últimos sete anos os encarnados terem protagonizado as suas nove vendas mais elevadas [n.d.r.: nove transferências mais caras tiveram todas lugar desde 2010 e não 2007], sendo ainda recordado que a SAD do Benfica tem comprado relativamente barato e vendido sempre acima dos 25 milhões nestes casos em particular.

In Record

dezembro 27, 2014

Dulce Félix vence 7.ª São Silvestre de Lisboa



Dulce Félix vence 7.ª edição da Corrida de São Silvestre de Lisboa

A atleta do Sport Lisboa e Benfica, Dulce Félix, venceu este final de tarde de sábado a 7.ª edição da São Silvestre de Lisboa, ganhando assim a prova pela segunda vez consecutiva, a quarta no total das edições realizadas.

Desta forma, as mulheres tornaram a levar a melhor sobre os homens, na chamada Guerra dos Sexos da São Silvestre de Lisboa, e ampliaram a vantagem para 4-2 em vitórias, numa prova que colocou cerca de 10 mil pessoas a correr na Cidade das Sete Colinas.

Dulce Félix cedo se colocou na frente da corrida, não deu hipótese à concorrência, quer feminina, quer masculina, e foi a primeira a cortar a meta em plena Avenida da Liberdade, bem no coração da capital lisboeta, com um tempo de 32,17 minutos.

"É um orgulho, acabo 2014 em grande, depois de um ano com alguns maus momentos. Esta vitória deixa-me muito feliz, é a quarta na prova, e abre bons prenúncios para 2015", disse Dulce Félix, minutos depois de cortar a meta, à BTV.

No sector masculino, Ricardo Ribas obteve o 3.º lugar na classificação, percorrendo a distância em 30,33 minutos, depois de em 2013 ter alcançado o 2.º posto.

Em declarações no final da Corrida, Ricardo Ribas explicou que vinha "de uma maratona que não correu muito bem" e que esta São Silvestre "serviu essencialmente para preparação para o que aí vem, com a época do Atletismo a começar em força". Óbvio que, "ficar no pódio e vestir a camisola do Benfica", é sempre um orgulho e uma motivação.

O triatleta do SL Benfica, João Pereira, ontem considerado pela ITU como a Maior Revelação de 2014 da Modalidade, também correu esta tarde na capital, tendo obtido o 4.º lugar da classificação.

“Estou no início de época e vim, acima de tudo, para entrar no espirito da São Silvestre, e fazer um treino mais competitivo, aferindo a minha forma e a dos outros atletas. Estou satisfeito, mas há muito trabalho pela frente”, afirmou à BTV.

Também este sábado teve lugar a 32.ª edição da corrida de São Silvestre de Avis, no Distrito de Portalegre, com o atleta do SL Benfica, Miguel Marques, a cortar a meta no 3.º lugar, depois de percorrer os 6.600 metros do percurso com um tempo de 19.46.

SA
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

dezembro 18, 2014

BTV : Operadoras Bell e Rogers



BTV : Operadoras Bell e Rogers distribuem canal no Canadá
As duas maiores do país

Para além da Bell, que já esta a operar a BTV no Canadá há cerca de três semanas, o canal oficial do Sport Lisboa e Benfica foi lançado, esta terça-feira, na Rogers.

A Bell e a Rogers são as duas maiores distribuidoras de televisão no Canadá, correspondendo assim a uma maior expressão BTV neste país da América do Norte.

Voleibol : Benfica – Partizan, 3-1


Benfica – Partizan, 3-1: Voleibol nos “oitavos” da Challenge Cup

A equipa de Voleibol do Sport Lisboa e Benfica garantiu, na noite desta quarta-feira, a presença nos oitavos-de-final da Challenge Cup após vencer o Partizan por 3-1.

Com a derrota por 1-3 em casa, o Partizan entrou desinibido e ganhou certa vantagem desde o início do 1.º “set” que manteve até final, fruto de um serviço muito agressivo, boas acções de bloco e um oposto, Milija Mrdak, extremamente eficaz. 5-8 e 8-16 nos dois tempos técnicos permitiram aos sérvios fechar com o resultado de 17-25.

No 2.º “set”, o Partizan não esteve tão eficaz no serviço, mas manteve a toada no bloco e no ataque. O destaque terá mesmo de ser assacado à equipa do Benfica que melhorou drasticamente nas várias variantes do jogo, nomeadamente nas eficácias do remate e serviço. Sempre na frente no marcador – 8-7 e 16-14 – a turma da casa fechou o parcial por 25-19.

O 3.º parcial confirmou a presença nos “oitavos”, pois o Benfica venceu-o por 25-14 e a conjugação do resultado das duas mãos já não permitia à turma sérvia seguir em frente. Este parcial foi mesmo o mais desequilibrado, com as “águias” a irem para os tempos técnicos na frente por 8-5 e 16-9.

Na frente do marcador por 2-1 e com a presença na próxima fase da prova garantida, o Benfica fechou o encontro no 4.º “set” por 25-18, após ter estado sempre na frente do “placard” (8-6 e 16-12).

Realçar o constante e insuperável apoio dos muitos Benfiquistas que marcaram presença nas bancadas do Pavilhão n.º 2.

MR
Fotos: Gualter Fatia / SL Benfica