setembro 28, 2015

Troféu António Pratas vem para a Luz


SL Benfica – UD Oliveirense, 76-48

O Tetracampeão Nacional começou a época oficial como tanto gosta… a ganhar! Está ainda mais rico o já vasto palmarés da equipa.

Depois de um 2014/15 histórico, com os comandados de Carlos Lisboa a fazerem o pleno em terras lusas, conquistando tudo o que havia para conquistar, este domingo, nova conquista, com o Troféu António Pratas a vir direitinho para as vitrinas do Museu Benfica Cosme Damião.

São Pedro do Sul acolheu a VIII edição do Troféu, com as meias-finais a terem lugar no sábado. O SL Benfica venceu o FC Porto (78-64), a UD Oliveirense deixou para trás a Ovarense (84-74), com as duas equipas a terem encontro marcado para este domingo à noite.

Primeira parte com domínio das “águias”, com o primeiro período a terminar com um 22-12, vantagem dilatada para um 43-30 com que se atingiu o intervalo.

Na segunda parte, os “encarnados” dispararam, conseguindo uma diferença pontual de 20 pontos no término do terceiro período: 57-37. Nos derradeiros dez minutos do encontro, o domínio e a superioridade “encarnadas” mantiveram-se e foram ainda mais vincadas, com o desafio a fechar com um score de 76-48.

Os números são taxativos e falam por si!

Marcaram pelo SL Benfica: Frederick Gentry (4), Carlos Andrade (10), Mário Fernandes (6), Jeremiah Wilson (19), Daequan Cook (4), Tomás Barroso (10), Cláudio Fonseca (5), João Soares (10), Nuno Oliveira (3), Ricardo Monteiro (2) e Diogo Gameiro (3).

Com mais esta vitória, o SL Benfica soma dez conquistas de Troféus consecutivas a nível nacional, batendo assim um recorde que pertencia… ao SL Benfica, datado da temporada de 1994/95.

Primeiro objetivo da temporada 2015/16 cumprido! segue-se o segundo: a Supertaça. O Pavilhão de Vila Nova de Cerveira será o palco de um desafio que colocará frente a frente o Tetracampeão Nacional e o Barcelos.

É já no próximo sábado, às 18h00.

SA
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

SL Benfica – Paços de Ferreira, 3-0



Quando a experiência e a irreverência se juntam…
6.ª jornada da Liga NOS

Depois da derrota no Dragão, foi um Benfica ambicioso e decidido aquele que entrou em campo frente ao Paços de Ferreira, em partida realizada este final de sábado no Estádio da Luz.

Catedral bem composta (45 276 espectadores!) em apoio ao Bicampeão, com Rui Vitória a eleger o mesmo onze da ronda anterior.

E belíssima primeira parte de futebol…

Início determinado do SL Benfica a colocar Marafona em sentido logo nos momentos iniciais, construindo três ocasiões para golo, com o jovem Gonçalo Guedes muito interventivo.

Resposta pronta do outro lado da barricada, com Jota a combinar com Andrézinho e a rematar de fora da área para a baliza à guarda de Júlio César.

Aos 15’, bruac nas bancadas da Luz, com Gaitán a isolar-se, fazer o chapéu a Marafona, com o guardião da Mata Real a sair, fazer uma mancha eficaz, e a impedir o primeiro.

Partida intensa, bem disputada, com o Benfica a dominar e a ter a iniciativa, perante um Paços de Ferreira espevitado e atrevido com linhas subidas e compactas a explorar o contra-ataque.

Num desses lances, Roniel trabalha bem e remata à malha lateral da baliza “encarnada”, seguindo-se, em cima da meia hora, um golo bem anulado aos pacenses devido a um fora de jogo claríssimo de Miguel Vieira.

Obra de arte na Catedral… e mais golos!

Minuto 34… e obra de arte na Catedral! Gonçalo Guedes serve Jonas e o brasileiro, de pé esquerdo, em arco, de fora da área, remata para um golo verdadeiramente espectacular fazendo a bola entrar no ângulo superior esquerdo da baliza de Marafona.

Estava feito o 1-0, e por muito pouco o brasileiro não repetiu a dose ainda antes do intervalo! Remate poderoso, a passar ao lado do poste.

Início de segunda metade mais tranquila, mas com a incerteza no resultado a manter-se face à vantagem mínima de um golo.

Aos 59’ Mitroglou esteve muito perto do 2-0 (valeu a saída atenta do guardião pacense), mas o golo não tardaria.

Assistência primorosa – mais uma de Gaitán – a oferecer o golo ao jovem Gonçalo Guedes, decorria o minuto 67’.

Com 2-0, a equipa soltou-se, cresceu e o terceiro da noite surgiu naturalmente (73’), desta feita com Gonçalo Guedes a servir o “artilheiro” Jonas para o 3-0, o seu segundo no jogo e o sétimo na prova que lhe permite liderar a lista dos melhores marcadores.

Com este resultado, as “águias” somam 12 pontos, fruto de quatro vitórias e duas derrotas, com um saldo de 16 golos marcados e quatro sofridos.

O Sport Lisboa e Benfica entrou em campo com Júlio César, Nélson Semedo, Luisão, Jardel e Eliseu; Samaris (81’, Talisca), Gonçalo Guedes (78’, Carcela), André Almeida, Samaris e Gaitán; Jonas e Mitroglou (63’, Raúl).

Duas deslocações pela frente…

Abre-se agora novamente a janela da Liga dos Campeões. O SL Benfica viaja até Espanha onde, na próxima quarta-feira, pelas 19h45, defronta a formação do Atlético de Madrid, numa partida relativa à 2.ª jornada da prova.

Depois da vitória caseira frente ao FC Astana, os “encarnados” querem manter a senda vitoriosa na competição.

O Campeonato Nacional regressa no fim de semana seguinte, com nova deslocação, desta feita à Pérola do Atlântico, onde o SL Benfica vai defrontar a equipa da União da Madeira.

Este desafio está agendado para as 16h00 de domingo.

SA
Fotos: Arquivo / SL Benfica

setembro 22, 2015

Jonas doa prémio de 10 mil euros



O avançado brasileiro do Sport Lisboa e Benfica foi eleito o Jogador do Ano 2014/15 TSF.

Para além de Jonas, o grupo de finalistas integrava também o colega argentino Nico Gaitán, Jackson Martinez e Ricardo Quaresma. Este quarteto de finalistas foi encontrado a partir da designação do "melhor em campo" em cada desafio transmitido pela TSF ao longo da temporada 2014/15, bem como da votação dos ouvintes da rádio.

A eleição final do Jogador do Ano coube aos treinadores das I e II Ligas do Futebol Profissional, sendo que votaram 31 dos 42 técnicos e o camisola 17 das “águias” foi o vencedor.

“Alegria e orgulho”

Jonas mostrou-se muito orgulhoso com a distinção e doou os 10 mil euros do prémio TSF à Ajuda de Berço, instituição que acolhe de forma permanente 40 crianças em duas casas.

“Quero agradecer este prémio individual. É uma alegria recebê-lo e quero agradecer aos que votaram em mim. Vou levar este prémio para o meu país e guardá-lo com muito carinho. É difícil ser escolhido o melhor jogador da Liga Portuguesa, uma Liga tão competitiva, e estou muito orgulhoso e feliz. Quero fazer a doação à instituição à Ajuda de Berço porque tenho a certeza que vai ser muito útil”, afirmou o jogador.

Mariana Reis, da Ajuda de Berço, ficou sensibilizada com o gesto do jogador do SL Benfica, referindo que este dinheiro vai ajudar uma instituição com "necessidades reais e contínuas. Haverá outro projecto no futuro, mas para já concentramo-nos nas duas casas que temos", finalizou Mariana Reis.

SA
Fotos: Arquivo / SL Benfica

setembro 15, 2015

SL Benfica – FC Astana, 2-0


Paciência, entrega e virtuosismo!
1ª Jornada UEFA Champions League


O SL Benfica venceu o FC Astana e conquistou os três primeiros pontos na Champions, num jogo em que foram necessários vários predicados…

Noite de chuva e frio na capital Lisboa, Catedral com meia casa (32 799 nas bancadas) para acolher a entrada do Glorioso em mais uma edição da Liga dos Campeões.

Prestígio Desportivo, reforço Histórico do emblema e os muitos euros em disputa na competição… ingredientes mais do que saborosos para uma caminhada que se espera longa e de sucesso.

E Sport Lisboa e Benfica e FC Astana foram os protagonistas de mais um desafio histórico! É que pela primeira vez uma equipa portuguesa e outra cazaque se defrontaram nas competições europeias, aliás esta foi, de resto, a estreia de uma equipa oriunda do Cazaquistão na Liga Milionária.

Noite de estreia na Champions também para o treinador Rui Vitória e para os jovens da Formação do Clube Nelson Semedo e Gonçalo Guedes, que surgiram no onze, aliás, o mesmo que goleou o Belenenses na última sexta-feira na Luz.

Primeira metade com pouco para dizer, escrever, neste caso! Jogo mastigado, com a equipa do FC Astana a adotar uma postura super defensiva, no erro do adversário, com o Benfica, pouco imaginativo, a não conseguir encontrar o caminho mais eficaz para as redes contrárias.

Apenas dois lances a merecer honras de destaque e ambos com o mesmo protagonista: Jonas. Meia hora de jogo com o brasileiro a rematar forte para uma grande defesa de Eric; em cima do intervalo, lance individual, com o avançado a permitir nova intervenção ao guardião dos visitantes.

Na segunda metade a história foi outra!

Paciência e muita entrega dos jogadores aos comandos de Rui Vitória para nunca perderem o foco no objetivo, num jogo em que a postura cazaque complicou e enervou… Depois, surgiu em campo o virtuosismo individual em prol do coletivo e a partir daí o Benfica soltou-se e carregou para a vitória. Mas vamos a factos!

Entrada inesperada, com o FC Astana muito perto do golo, com Aleksey Shchetkin a enviar a bola ao poste… e a partida finalmente animou!

Aos 51’, Gaitán, acelera, deixa tudo para trás e arranca rumo à baliza adversária, rematando cruzado – sem hipótese – para o golo da vantagem “encarnada”.

Estava feito o primeiro tento da noite… e o nó (bem atado do FC Astana) desatado finalmente!

A partir daqui, só deu Benfica e foi com naturalidade que os “encarnados” aumentaram a vantagem.

Minuto 62’, Gaitán abriu na ala, Eliseu foi à linha cruzar e Mitroglou, à ponta de lança, encostou para o 2-0.

Até ao final, gestão inteligente... Vitória justa!

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César; Nelson Semedo, Jardel, Luisão e Eliseu; Samaris (Fejsa, 86'), Talisca (Raúl Jiménez, 76’), Gaitán e Gonçalo Guedes; Mitroglou e Jonas (Pizzi,71’).

No outro desafio do Grupo C, na Turquia, o Atlético de Madrid venceu o Galatasaray (0-2). Com este resultado, espanhóis e portugueses assumem a liderança.

Segue-se o clássico para o Campeonato Nacional. O Sport Lisboa e Benfica desloca-se ao estádio do Dragão às 19h15 do próximo domingo, numa partida relativa à 5.ª jornada da competição.

Já a Liga dos Campeões regressa no dia 30 de Outubro, com os “encarnados” a viajarem até Espanha para defrontar o Atlético de Madrid, na 2.ª ronda do Grupo C da prova.

SA
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

setembro 14, 2015

Franco Cervi assinou pelo SLBenfica



Nascido a 26 de maio de 1994 (21 anos), natural de San Lorenzo, Argentina, Franco Emanuel Cervi é considerado promessa do futebol do País das Pampas.

Extremo veloz, de técnica apurada, atua preferencialmente pela esquerda, contudo, também pode variar de flanco.

Desequilibrador, o jovem argentino também gosta de rematar, e está agora ligado ao SL Benfica por seis anos.

Cervi tem vestido a camisola do prestigiado Rosario Central - conotado com grandes futebolistas, entre os quais Angel Di María, bem conhecido dos adeptos benfiquistas -, que representa desde o escalão de Juniores, clube onde, até ao momento, marcou cinco golos em 25 jogos realizados pela categoria superior do Rosario Central.

Fique atento às atualizações noticiosas na BTV.

Boa Iniciativa da Sagres

setembro 12, 2015

SL Benfica Campeão de Paintball



A equipa de Paintball do Sport Lisboa e Benfica sagrou-se Campeã na última etapa do torneio Lisbon Paintball Series, realizado este domingo.

No próximo dia 27, em Samora Correia, realiza-se a última etapa do Campeonato Nacional 2015.

SL Benfica – Belenenses, 6-0


Golos e dinâmica na antecâmara da Champions

4.ª jornada da Liga NOS

Boa moldura humana viajou até ao Estádio da Luz para ver a equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica enfrentar o Belenenses. Rui Vitória operou três mudanças no onze: Jardel, Talisca e Gonçalo Guedes entraram para os lugares de Lisandro, Pizzi e Victor Andrade, respetivamente.


Os célebres 15 minutos à Benfica mantiveram-se mas inverteram no tempo. Desta feita apareceram no início do desafio. Entrada forte do Bicampeão Nacional com golos de Mitroglou e Jonas, aos cinco e aos 17 minutos, e que terminou em 6-0. Realce para alguma passividade defensiva por parte dos homens às ordens de Sá Pinto que permitiram ainda um remate à meia volta de Gonçalo Guedes com Ventura a opor-se bem (16’).

Diferente para melhor o Benfica que apareceu esta sexta-feira na Luz. Muito dinamismo, variações entre o jogo interior e exterior que baralharam marcações e abriram brechas na defensiva “azul”, muito jogo entrelinhas e pressão alta sobre o portador da bola obrigaram o Belenenses a apresentar um Futebol curto, algo confuso e que pouco assustou o adversário.

Mesmo a vencer por 2-0, o Benfica manteve a toada atrevida. Jonas voltou a estar perto do golo aos 33 minutos depois de passes de cabeça entre Mitroglou e Jardel – à Futebol de Praia. Adivinhava-se mais estragos na baliza de Ventura e assim foi. Minuto 40, Gaitán marca um canto, Samaris desvia e na pequena área, Jonas bisa no encontro. Foi o primeiro tento do Benfica após a marcação de um pontapé de canto esta temporada.

Depois de uma primeira parte amorfa, o Belenenses entrou mais acutilante no segundo tempo. Pé esquerdo de Luís Leal foi o responsável por obrigar Júlio César, aos 49’, à primeira estirada da noite. Responderam as “águias” com o 4-0. Gaitán bailou na esquerda, e a bola chegou a Mitroglou, com um passe de um jogador “azul”, para o golo (53’). O grego bisava na partida e fazia o terceiro no Campeonato Nacional.

… E voltou tudo ao mesmo

O remate de Luís Leal foi mesmo um oásis num deserto de ideias num Belenenses muito permissivo perante um Benfica de magia. Domínio total da partida e da posse de bola, com lances de belo recorte técnico que deram em mais dois golos. Decorria o minuto 59 e Gaitán fazia o “gosto ao pé” após combinação com Jonas e três minutos volvidos, Talisca, do meio da rua, fez o “placard” chegar à meia dúzia para gáudio dos 42.454 espectadores presentes nas bancadas.

Com o passar dos minutos, o Benfica colecionava oportunidades num Futebol que era música orquestrada por Gaitán e Jonas para os adeptos. Confortável no desafio, Rui Vitória começou a pensar na Liga dos Campeões e resolveu dar descanso aos camisolas 10 e 17. A própria equipa percebeu que os três pontos estavam seguros e geriu o ritmo e os minutos com bola até ao apito final de Bruno Paixão.

O Benfica não perde em casa há 54 jogos e iguala a 4.ª melhor marca de sempre, estabelecida em 1973. Neste momento soma nove pontos na classificação e agora segue-se o Astana, no dia 15 de setembro, na 1.ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Júlio César; Nélson Semedo, Luisão, Jardel, Eliseu; Samaris, Talisca, Gaitán (Nuno Santos, 72’), Gonçalo Guedes; Jonas (Pizzi, 77’) e Mitroglou (Raúl Jiménez, 66’).

Marco Rebelo
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica