fevereiro 28, 2013

Parabéns ao nosso Glorioso SLBenfica


"Todos por um!" eis a divisa,
Do velho Clube Campeão,
Que um nobre esforço imortaliza,
Em gloriosa tradição.

Olhando altivo o seu passado,
Pode ter fé no seu futuro.
Pois conservou imaculado
Um ideal sincero e puro.

REFRÃO
Avante, avante p'lo Benfica,
Que uma aura triunfante Glorifica!
E vós, ó rapazes, com fogo sagrado,
Honrai agora os ases
Que nos honraram o passado!

Olhemos fitos essa Águia altiva,
Essa Águia heráldica e suprema,
Padrão da raça ardente e viva,
Erguendo ao alto o nosso emblema!

Com sacrifício e devoção
Com decisão serena e calma,
Dêmos-lhe o nosso coração!
Dêmos-lhe a fé, a alma!

Letra: Félix Bermudes
Música: Alves Coelho (pai)
Interpretação: Orfeão do Sport Lisboa e Benfica


fevereiro 24, 2013

SLBenfica – P. Ferreira, 3-0


Benfica – P. Ferreira, 3-0: Muita classe dá triunfo natural

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica recebeu e venceu, no Estádio da Luz, o Paços de Ferreira, por 3-0, com golos de Enzo Perez, Cardozo e Lima.

Jorge Jesus apresentou um Benfica praticamente na máxima força, que entrou pressionante e isso viu-se no golo obtido cedo. Aos 7’, jogada de entendimento entre Ola John, Lima e Salvio, que descobre à frente da área Enzo Pérez, com o argentino a arrancar para a baliza e a bater Cássio com uma finalização de classe!

Estava desbloqueado o marcador na Luz, mas o Benfica queria mais e à passagem do minuto 22, Luisinho centrou, mas Cardozo, em boa posição, rematou de cabeça por cima. Dois minutos volvidos, Ola John tira um cruzamento “venenoso”, Cardozo lutou entre os centrais, o esférico sobrou para Salvio com este a rematar, mas Cássio defendeu.

O conjunto da casa ia-se acercando cada vez mais da área pacense e aos 29’, após excelente jogada individual de Salvio, a bola sobrou para Lima que disparou de pé esquerdo para Cássio sacudir.

A jogar de forma organizada, mas sem conseguir sai para o contra-ataque (mérito do Benfica), o Paços de Ferreira foi pela primeira vez à baliza de Artur aos 31 minutos após perda de bola de Luisinho, mas só ganhou um canto.

Os comandados de Jorge Jesus tentavam o golo da tranquilidade e Cardozo bem o tentou. Porém, o esférico endossado por Ola John embateu no poste.

O 1-0 ao intervalo sabia a pouco pelo que o Benfica tinha produzido. Tal como na primeira parte, os “encarnados” entraram decididos na etapa complementar e aos 45’ um remate de Cardozo obrigou Cássio a desviar para canto. Na sequência deste, Luisão, nas alturas, envia a bola ao poste e na recarga, Cardozo fez o 2-0.

O tento da tranquilidade estava conseguido, mas Carlos Martins também queria marcar e testou a atenção de Cássio aos 52 minutos.

A perder por 2-0, os pupilos orientados por Paulo Fonseca resignaram-se, mas ainda foram a tempo de sofrerem o 3-0, por intermédio de Salvio, após falhanço de Lima. Uma palavra para a assistência de cabeça de Aimar.

O onze inicial do Sport Lisboa e Benfica foi o seguinte: Artur; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Luisinho; Matic, Enzo Perez (Carlos Martins, 45’), Ola John (Pablo Aimar, 71’) e Salvio; Lima e Cardozo (Gaitán, 63’).

Texto: Marco Rebelo
Fotos: Gualter Fatia / SL Benfica

fevereiro 22, 2013

Jornal " O Benfica " Edição Nº 3591



Destaques 

Principais títulos


Atletismo: "Doze títulos nacionais" (Pág.22)

Títulos


2 Síntese+ Clube: "Mário Coluna condecorado" + Carlos Martins e a campanha do IPO
3 Actualidade: "Recta final do mês" + Opinião Arons Carvalho
4 Crónica Benfica- Académica: "Vitória da garra sobre o antijogo"
5 Análise à Jornada: "A luta continua!"
7 Antevisão Benfica - Paços de Ferreira: "Sem espaço para surpresas" + Opinião João Diogo
8/9 Antevisão Taça da Liga: "Escala em Braga" + Antevisão Liga Europa: "Que Benfica nas competições europeias?" + Opinião João Diogo
11 Equipa B: "Regresso às vitórias" + Opinião João Malheiro
12 Juniores: "Vitória categórica" + Juvenis: "Á conquista da imortalidade"
13 Iniciados: "Elvas à vista"
15 Opinião Pragal Colaço: "Bayer 04 Leverkusen"
16/17  Infografia do 109º aniversário do Sport Lisboa e Benfica
19 Fundação Benfica: "Uma experiência única" + Opinião Jorge Miranda
20/21 Zona de Decisão - Valdo: "Doa a quem doer... o Benfica é diferente"
22 Atletismo: "Doze títulos"
23 Atletismo: "Triunfos e mínimos" + Triatlo: "Presença em força" + Breves atletismo
24 Voleibol: "Prontos para lutar"
25 Futsal: "Sem dramatismos"
26 Andebol: "Rumo à Final Four"
27 Basquetebol: "Prova de fogo na Madeira"
28 Xadrez: "Vitória no dérbi" + Ténis de Mesa: "Resultados positivos na 9ª e 10ª jornadas" + Bilhar + Campismo + Bilheteiras com novo horário
29 Hóquei em Patins: "Regresso ao doce lar" + Coluna Multimedia
30 Tome nota + BTV
31 Opinião Afonso Melo: "Nunca houve um caso Calabote. Houve isso, sim, um caso Guiomar!"
32 Clube: "Vinho eusébio é excepcional" + Opinião Luis Fialho + Breves

Afonso de Melo in O Benfica


Nunca houve um "Caso Calabote"
Dia 22 de Março de 1959 – última jornada do Campeonato Nacional. Teimam alguns, de escassa honestidade intelectual, em falar de um fantasioso "Caso Calabote".

Aceitemos o repto porque a mentira espalhou-se como um cancro, aproveitada por aqueles que têm tanta porcaria a esconder sob o diáfano véu da sua fantasia.

Nunca houve um "Caso Calabote"; houve, isso sim, um "Caso Guiomar"!

As mentiras destroçam-se com factos. E os mentirosos viajam com elas para as sarjetas sujas da cidade.

Facto – O Benfica comandou largamente o Campeonato de 1958/59.

Facto – Ao entrar para última jornada o FC Porto gozava de vantagem perante o Benfica apenas na diferença entre golos marcados e sofridos: FC Porto (78-22); Benfica (71-19).

Facto – Supondo-se que o FC Porto ganharia o seu último jogo (em Torres Vedras, frente ao Torreense) por 1-0 o Benfica ficaria obrigado a ganhar em casa à CUF pelo menos por seis golos de diferença.

Factos – Tanto CUF como Torreense estavam nos últimos lugares da tabela – o Torreense concluiria mesmo o Campeonato na última posição, descendo de Divisão; a CUF ficaria no 4.º lugar a contar do fim.

Facto – Tanto FC Porto como Benfica eram claros favoritos nos seus jogos.

Factos – O árbitro do Benfica-CUF foi Inocêncio Calabote; o do Torreense-FC Porto foi Francisco Guiomar.

Facto – A equipa do Benfica entrou em campo com cerca de cinco minutos de atraso em relação ao FC Porto em Torres Vedras.

Facto – Aos 14 minutos de jogo já o Benfica vencia, por 1-0, golo de Águas, de grande penalidade, considerada absolutamente indiscutível por Alfredo Farinha, o cronista de "A Bola".

Facto – Mais golos se seguiram: aos 26 minutos, de novo Águas de penálti a fazer o 2-0 – "penalidade algo forçada" segundo a opinião do mesmo Alfredo Farinha. O 3-0 surgiu aos 35 minutos, por Mendes, a passe de Águas.

Facto – Aos 14 minutos de jogo no Campo das Covas, António Manuel e Noé saltam a uma bola e o jogador do Torreense é obrigado a sair do relvado. A equipa de Torres Vedras joga largos minutos reduzida a dez elementos.

Facto – Aos 24 minutos, na sequência de um canto de Hernâni Perdigão faz o 1-0 para o FC Porto.

Facto – Dois minutos mais tarde António Manuel regressa de cabeça ligada. Assistira ao golo do FC Porto fora do campo, queixando-se com dores.

Facto – Alfredo Farinha considerou de lastimar as atitudes de exacerbada hostilidade dos jogadores da CUF.

Factos – Quando chega o intervalo, num campo e noutro, o nervosismo mantém-se. O FC Porto continua em vantagem e, enquanto no Estádio da Luz os cufistas tudo faziam para queimar tempo, segundo Alfredo Farinha; no Campo das Covas, Aurélio Márcio, outros dos "monstros" de "A Bola" criticava a falta de qualidade da exibição portista.

Calabote???? Reparem antes em Guiomar...

Facto – Três minutos após o intervalo, Chino, com um remate de longe, marca um golo de classe e põe o Benfica a ganhar, por 4-0.

Facto – Aos 56 minutos, Quaresma, com uma cabeçada vigorosa, faz o golo da CUF e torna tudo mais complicado para o Benfica.

Facto – Aos 58 minutos, Cavém entra na área e é rasteirado. Penálti claro, segundo o cronista, que Águas converteu.

Facto – Escutam-se pelos transistores notícias de um estádio e de outro.

Facto – Aos 64 minutos, em Torres Vedras, Francisco Guiomar expulsou Manuel Carlos por carga sobre Carlos Duarte. Com António Manuel em esforço, o Torreense quebra no seu entusiasmo.

Facto – Na Luz o Benfica corre desesperadamente à procura de mais golos. Os jogadores da CUF continuam a exagerar nas quedas e nas perdas de tempo. Aos 65 minutos, Águas, num remate estupendo, faz o 6-1. O impossível parecia à beira de acontecer.

Facto – Apesar de jogar contra 10, o FC Porto não assume a sua nítida superioridade. O Torreense defende-se de forma galharda e mantém a sua baliza a salvo. Os adeptos portistas começam a sentir que podem perder o título que já consideravam ganho.

Facto – Aos 83 minutos, Mendes faz o 7-1 na conversão de um livre directo. O Benfica está na frente, mas ainda há muito para jogar.

Facto – O tempo escoa-se com rapidez. O Benfica cumpriu o seu trabalho, está na frente do Campeonato, o FC Porto luta contra o destino. O Torreense, com menos um jogador em campo, fraqueja.

Facto – A dois minutos do fim do jogo em Torres Vedras, um livre apontado por Hernâni dá o golo a Noé. Saldanha procura atrasar o recomeço do encontro: Francisco Guiomar dá-lhe ordem de expulsão.

Facto – Na Luz, Inocêncio Calabote dá mais quatro minutos de descontos. Para quem está no estádio pecam por pouco. Alfredo Farinha escreve: "No que se refere ao prolongamento de quatro minutos cremos ter deixado ao longo da crónica justificação bastante para o critério do senhor Inocêncio Calabote".
Facto – O FC Porto joga o que falta contra um adversário desfeito (com apenas nove em campo e António Manuel diminuído. Só lhe falta um golo. Já não é assim tão difícil.

Facto – No último minuto da partida, Carlos Duarte tira um centro e Teixeira cabeceia por entre os defesas do Torreense. O título está ganho, ainda que tivesse sido necessário devastar o já condenado Torreense.

Facto – Os jogadores do FC Porto esperam pelo fim do jogo da Luz para comemorarem. Onze para onze, não tinham conseguido fazer um golo: foi preciso contar com a saída temporária de António Manuel, primeiro, e depois com as expulsões definitivas de Manuel Carlos e Saldanha para marcar o segundo e o terceiro.

Facto – Toda a gente conhece o nome de Calabote... Ninguém parece querer recordar o nome de Francisco Guiomar.
Conclusão – Alguns cronistas ligados ao FC Porto sabem pouco ou nada da história do Futebol português. Por isso insistem alegremente nas mentiras repetidas.

fevereiro 21, 2013

Liga Europa SLBenfica – Bayer Leverkusen, 2-1


SLBenfica – Bayer Leverkusen, 2-1: Triunfo e presença nos “oitavos”

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica recebeu e venceu, esta quinta-feira, o Bayer Leverkusen, por 2-1, em jogo referente à 2.ª mão dos 1/16 avos-de-final da Liga Europa. Os golos foram de Ola John e de Matic.
O técnico Jorge Jesus fez algumas alterações face à última partida, nomeadamente o regresso à titularidade de Carlos Martins, de Cardozo e de Matic.
A ter que recuperar da desvantagem, o Bayer Leverkusen entrou determinado e as primeiras grandes oportunidades são dos germânicos. Remates de Kiessling e de Schurrle aos postes da baliza de Artur (11’ e 39’). Pelo meio, remate perigoso de Schurrle para excelente estirada do guardião brasileiro do Benfica.

Os “encarnados” despertaram do susto inicial e arrancaram para uma exibição bem conseguida, nomeadamente na segunda metade, mas já lá vamos…
Numa primeira parte muito disputada a meio-campo, o Benfica teve na cabeça de Gaitán uma bela oportunidade para marcar, mas Leno defendeu (15’). O cruzamento foi de André Almeida.
Na etapa complementar, os pupilos à guarda de Jorge Jesus entraram mais fortes e afoitos e à passagem do minuto 60, Ola John fez um tento de “bandeira”. Encostado ao lado esquerdo, bailou frente a dois oponentes, inventou um “slalom” impressionante e à entrada da área rematou em arco, sem hipóteses para Leno. Estava inaugurado o marcador na Luz!

A ter de recuperar de dois golos de desvantagem, o Bayer Leverkusen tentaram por intermédio de Rolfes, mas Artur voltou a estar enorme entre os postes (67’). Não foi ali, foi minutos depois. Aos 75 minutos, Schurrle empatou de pé esquerdo.
O Benfica respondeu da melhor forma e voltou a colocar-se em vantagem aos 77 minutos. O lance começa em Artur que lança longo para Lima, este temporizou, esperou por Matic e o sérvio marcou de cabeça. Não contentes, os jogadores do Benfica tentaram o terceiro. Ola John disparou pela esquerda, deixou para Lima que permitiu a defesa de Leno. O esférico sobrou para Salvio que, de cabeça, só não marcou porque Castro evitou.

Perto do fim, Gaitán recebeu a bola de Ola John, rematou, mas Leno voltou a opor-se (89’).
Com este triunfo, o Benfica garantiu a presença nos oitavos-de-final da Liga Europa, onde vai defrontar o Bordéus.
O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur Moraes; André Almeida, Luisão, Garay, Melgarejo; Matic, Enzo Perez, Carlos Martins (Salvio, 52’); Ola John (Jardel, 90’+3’), Gaitán e Cardozo (Lima, 64’).

Texto: Marco Rebelo
Fotos: Gualter Fatia e Isabel Cutileiro / SL Benfica

Comunicado do SLBenfica



Apelo aos sócios e adeptos

Os sócios e adeptos têm sido fundamentais ao longo do ano na forma como, nas competições nacionais e internacionais, têm conseguido “empurrar” a equipa desde as bancadas do Estádio da Luz. Esta quinta-feira temos mais um jogo decisivo na caminhada europeia e o vosso apoio vai ser, uma vez mais, decisivo.

Como é público temos sido visados pela UEFA em relação ao uso indevido de alguns materiais pirotécnicos. O Clube já foi alvo de diversas multas que ascendem a largos milhares de euros, encontrando-se nesta altura em risco dessa penalização poder ir além da componente financeira.

Nesse sentido, fica aqui o apelo para continuarmos a apoiar a equipa com a mesma determinação de sempre, mas sem a utilização de materiais pirotécnicos que possam vir a determinar uma sanção ainda mais pesada da parte da UEFA.

fevereiro 20, 2013

Afonso de Melo in O Benfica


Pobre Pedro Podre

"Pobre Pedro: ei-lo em todo o seu esplendor podre. A vaidade consome-o até ao tutano. Talvez haja alguém logo abaixo de Deus, mas não consegue vislumbrar quem senão ele. Tristemente exibe as suas fraquezas a céu aberto. Dita, ordena, castiga. Ele: com P. Com P de pobre; com P de podre. Lambido, reluzente, gesticulante. Um teatro de marionetas. Não tentem desviar o olhar. Não é possível. O pobre é rei da palhaçada por vontade divina de um deus anão. Deixaram-no tomar conta do palco, deram-lhe o papel principal de uma vida vidinha, rasteira e submissa, e ele tomou para si as dores do Universo. Que ninguém ouse embaciar o seu brilho bodegoso, azeiteiro, untuoso. Vêmo-lo sorrir de teclado alvo e percebemos que nada nele faz sentido num Mundo que não comece e não acabe na sua imensa presunção. Não o chamem pelo nome: não há nome de homem que lhe caiba, pobre dele, podre ele, Pedro ele.
Os seus abraços estreitos, corrompidos, alegram os que se comprazem com a batota. Escolheu há muito os seus parceiros e definiu publicamente os seus ódios. Em seguida repete-os até que todos nós nos sintamos subserviência. Ainda há quem se admire? Quem se surpreenda? Ainda há quem o respeite? Quem o considere? Perguntem-lhe. Talvez saiba responder com frases nas quais não caibam as mentiras do costume. Eu duvido. Vejo-o como ele é: tristemente triste.
Pobre Pedro Podre. Não percebeu ainda que está a ser lentamente mastigado e que em breve será cuspido para a sarjeta dos inúteis. Até lá vai fazendo o seu serviço. Sem brilho, mas com brilhantina..."

fevereiro 18, 2013

Jornal " O Benfica " Edição Nº 3590


Destaques 
 
Principais títulos 


Antevisão Liga Europa: "Decidir na Catedral"(Pág.09)


Títulos  


2 Síntese+ Tempo Corrido - José António Saraiva: "Este é o melhor Benfica desde Eusébio"
3 Actualidade: "Em alta rotação" + Opinião Arons Carvalho
4 Crónica Nacional-Benfica: "Sem nevoeiro mas..."
5 Análise à Jornada: Proençadas e desatinos"
7 Antevisão Benfica - Académica: "Estudantes imprevisíveis"
9 Antevisão Liga Europa: "Decidir na Catedral" + Opinião João Malheiro
11 Equipa B: "Exigência máxima" + 70 anos de edição
12 Juniores: "Arranque vitorioso na Madeira" + Juvenis: "Operar 1º triunfo"
13 Iniciados: "Vitória é o caminho" + Iniciação - torneios de Carnaval: "Três belas conquistas"
14 Opinião Pragal Colaço: "O relatório financeiro da UEFA"
15 a 18 Emblemas de Dedicação: "Que se cumpra a tradição!"
19 Futsal: "Troféu na Luz pela 9ª vez!" + Ginástica + Pesca
20/21 Atletismo: "Equipa Sénior Masculina revalida título!"
22 Voleibol: "Contra tudo e contra todos"
23 Basquetebol: "Líder vai aos Açores"
24 Hóquei em Patins: "Segue-se cartada em Reus" + Triatlo: "Triunfo no Duatlo das Lezírias"
25 Andebol: "Manter senda vitoriosa" + Judo: "Prestação condicionada"
26/27 Bigger's Better e Showfight: "Noite memorável com título Mundial"
28 Fundação Benfica: "Musical Peter Pan"
29 Zona de Decisão - Pedro Adão e Silva: "O Benfica faz parte da minha identidade" + Coluna Multimedia
30 Tome nota + BTV
31 Opinião Afonso Melo: "A morte e a morte do Chacha, ou seja, Álvaro Gaspar"
32 Modalidades: "Aproveite a campanha Dia dos Namorados" + Opinião Luis Fialho + Breves

fevereiro 17, 2013

SLBenfica – Académica, 1-0



SLBenfica – Académica, 1-0: Lima quebra muralha defensiva

Justiça! O Sport Lisboa e Benfica venceu este domingo a Académica de Coimbra por 1-0, em jogo a contar para a 19.ª jornada do Campeonato Nacional. Num encontro em que só a equipa da Luz procurou ganhar, o golo da vitória surgiu através de uma grande penalidade. Lima foi quem quebrou a muralha defensiva de um adversário ultra-defensivo.

A primeira parte do desafio ficou marcada pelo domínio territorial da formação da casa. Perante um adversário muito fechado nas suas linhas, os caminhos para a baliza da Académica nem sempre foram fáceis de encontrar por parte dos jogadores orientados por Jorge Jesus.

Apesar dessa situação, as únicas situações para marcar pertenceram ao conjunto da Luz. Rodrigo, aos seis minutos, foi o primeiro a rematar com perigo à baliza de Ricardo, que viu o esférico ir à sua malha lateral.

Maxi Pereira, num remate acrobático (20’), e Lima (26’), através de um cabeceamento, também procuraram colocar a equipa em vantagem. A última situação de verdadeiro perigo por parte do Benfica aconteceu aos 30 minutos, através de um remate de Enzo Perez. O guardião dos forasteiros evitou o golo com uma defesa para canto.  


A história não mudou para o segundo tempo, o mesmo é dizer que o jogo continuou com sentido único, com apenas uma equipa a procurar fazer aquilo que faz a festa do futebol, ou seja, golos.

Tal como na primeira parte, as oportunidades foram sendo criadas pelo Benfica. Além de esbarrarem nas defesas de Ricardo, os remates “encarnados” tiveram o poste como inimigo. Ola John foi o primeiro a ver o ferro a ser mais um obstáculo para a equipa (49’).

Rodrigo (53’), Salvio (70’) e Lima (77’) bem tentaram de outras formas, no entanto, o resultado continuou a ser o mesmo. O poste e Ricardo voltaram a ser a salvação da Académica aos 80’, após terem travado um remate de Melgarejo.


No assalto final à baliza da Académica, Gaitán foi puxado dentro da grande área pelo atleta João Dias. O árbitro Nuno Almeida assinalou grande penalidade e Lima não perdoou na conversão do castigo máximo, dando os merecidos três pontos no encontro. Nota ainda para a expulsão de Hélder Cabral após o golo benfiquista.

Com este resultado, a equipa segue no topo da classificação do Campeonato Nacional.

O Sport Lisboa e Benfica apresentou a seguinte equipa: Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Melgarejo; André Almeida (Carlos Martins, 67’), Enzo Perez, Salvio e Ola John (Kardec, 60’), Rodrigo (Gaitán, 67’) e Lima.

Texto: Rui Manuel Mendes
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

fevereiro 14, 2013

Liga Europa Bayer Leverkusen – SLBenfica, 0-1


Bayer Leverkusen – Benfica, 0-1: Foi de se lhe tirar o chapéu

A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica deslocou-se à Alemanha para disputar a 1.ª mão dos 1/16 avos-de-final da Liga Europa. Diante do Bayer Leverkusen, os “encarnados” triunfaram por 0-1 e seguem em vantagem para 2.ª mão.

Jorge Jesus optou por colocar a titular uma equipa um pouco diferente do que é habitual, muito por razão de comandar um conjunto que está inserido em quatro competições e a gestão é necessária.

A partida começou numa toada de estudo mútuo, mas foi um Benfica de cabeça levantada que se apresentou no BayArena e aos 14 minutos, Urreta, descaído para a esquerda, entrou na área, rematou mas Leno defendeu.

Os pupilos à guarda de Jorge Jesus estavam tacticamente irrepreensíveis, obrigavam os germânicos a jogar no erro dos “encarnados” e aos 24’, Garay lançou Ola John, este trabalhou bem, assistiu André Almeida que, na passada, rematou forte bem perto do alvo.

O intervalo chegou no BayArena e apesar de o empate se aceitar, ficou-se com a ideia que o Benfica era a formação mais penalizada com este resultado, pois fez mais que o seu adversário.

A partida reiniciou-se da mesma forma como se tinha iniciado, as duas equipas não arriscavam muito, mas à entrada do minuto 60, tudo mudou. Aos 60’, os alemães poderiam ter marcado depois de um pontapé de canto, em que, depois de alguma confusão na área, Artur defendeu para novo canto. Na sequência desse pontapé de canto, surge o golo benfiquista.

Que jogada espectacular do Benfica! André Almeida centrou da direita, Gaitán simulou, deixou o esférico rolar até Cardozo que só com Leno pela frente fez-lhe um chapéu (61’).

Quatro minutos depois, de novo Artur em evidência. Bender disparou, mas o guardião opôs-se muito bem. À passagem do minuto 68, Hegeler obrigou Artur a nova intervenção e um minuto depois, num contra-ataque, o Benfica voltou a estar perto do golo. Gaitán assistiu Ola John e este tentou um chapéu, mas este saiu com aba larga.
Depois de alguma insistência do Bayer Leverkusen que o conjunto luso segurou, o Benfica mostrou maturidade para trazer para a Luz uma vantagem importante.

O Benfica – Bayer Leverkusen está marcado para as 20h05 do dia 21 de Fevereiro.

O Sport Lisboa e Benfica iniciou o jogo com o seguinte onze: Artur Moraes; André Almeida, Luisão, Garay, Melgarejo; Matic, André Gomes (Enzo Perez, 41’), Urreta (Urreta, 57’), Gaitán, Ola John e Cardozo (Lima, 72’).

Texto: Marco Rebelo
Fotos: Gualter Fatia / SL Benfica

fevereiro 13, 2013

Artigo de Opinião


Vermelho, vermelhão

"O sócio do Benfica Pedro Proença acrescentou mais uma linha a vermelho carregado na sua complicada relação com o clube do coração.
Nos últimos três campeonatos, a equipa de Jesus perdeu 13 pontos em 15 possíveis, com o seu associado como juiz de campo. E no reencontro da Choupana, quase um ano depois do golo de Maicon, nem faltaram os cartões vermelhos para prolongar a sua influência na vida encarnada por mais duas ou três jornadas. Com os escalpes de Cardozo e Matic, sobe a sete o número de jogadores do Benfica abatidos em campo pelo melhor árbitro do Mundo, ou seja, sete vezes mais do que em comparação com o FC Porto no mesmo número de jogos."

João Querido Manha, in Correio da Manha 
Fanado do Indefectível

fevereiro 11, 2013

Nacional – SLBenfica, 2-2


Nacional – SLBenfica, 2-2: Faltou um golo para resultado ser real

A equipa de Futebol profissional do Sport Lisboa e Benfica empatou este domingo a dois golos no recinto do Nacional, em jogo a contar para a 18.ª jornada da Liga Portuguesa.

Era mais um jogo complicado aquele que o Benfica tinha pela frente na Madeira e a situação ficou ainda mais difícil com o golo apontado madrugador de Diego Barcellos.

Em desvantagem desde os cinco minutos, a formação orientada por Jorge Jesus reagiu de forma rápida e eficaz, tal como se espera de um conjunto com ambição vencedora. Um cabeceamento de Rodrigo, aos oito minutos, foi o primeiro sinal para o que aí vinha.

O tento da igualdade não demorou, então, muito tempo. Luisinho subiu do lado pelo lado esquerdo e cruzou com muito perigo para o interior da área, onde surgiu o jogador da casa, Mexer, a desviar para a própria baliza (15’).

Com a equipa completamente instalada no meio-campo defensivo contrário, o perigo começou a ser uma constante junto das redes do guarda-redes Gottardi. Lima, aos 17 minutos, acertou no poste do Nacional da Madeira. No seguimento da jogada, um adversário, ao procurar evitar o desvio certeiro de Matic, também acertou no ferro. Incrível!

Era um Benfica cada vez mais determinado em marcar o segundo golo e Rodrigo só não o conseguiu devido a uma defesa de Gottardi (28’). O guardião da casa já não teve capacidade para travar um livre soberbo de Urreta (36’), que foi titular pela primeira vez na presente temporada. Estava feita a reviravolta!

Para a segunda parte, o treinador Jorge Jesus apostou na entrada de Gaitán para o lugar de Rodrigo. Com uma entrada muito forte, o Benfica esteve muito perto de fazer o 1-3, através de Urreta (48’) e Enzo Perez (49’).

O Nacional marcou num dos poucos lances que teve no segundo tempo e depois só deu Benfica. Foram várias as oportunidades que a equipa teve para dar outra vez a volta ao marcador, no entanto, a bola teimou em não entrar nas tentativas de Garay (55’), Cardozo (74’ e 80’), Lima (79’) e Salvio (87’).

Antes do final do desafio, o árbitro Pedro Proença apareceu e expulsou os jogadores do Benfica, Óscar Cardozo e Nemanja Matic, com cartão vermelho directo, bem como o atleta do Nacional, Marçal.

Com este resultado na 18.ª jornada do Campeonato, a equipa da Luz passou a contabilizar com 46 pontos.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com a seguinte equipa: Artur Moraes; Maxi Pereira (Kardec, 90’), Garay, Luisão e Luisinho; Matic, Enzo Perez, Salvio e Urreta (Cardozo, 61’); Rodrigo (Gaitán, 45’) e Lima.

Fotos: Arquivo / SL Benfica

fevereiro 09, 2013

Jornal " O Benfica " Edição Nº 3589


Destaques 
 
Principais títulos 

 
Triatlo - Entrevista João Silva: "Temos equipa com potencial para vencer os títulos nacionais" (Pág.22)

Títulos  

2 Síntese+ Editorial: "A delegação e o beijo da morte" + CFC recebeu comitiva da FPF
3 Actualidade: "Águias sentiram Paraguai" + Opinião Arons Carvalho
4/5 Entrevista Enzo Perez: "O segredo é a mentalidade ganhadora"
6 Crónica Benfica-Vit. Setúbal: "Perfeitamente Lima(dos)"
7 Análise à 17ª jornada: "Duas Ligas numa só" + Breves
9 Antevisão Nacional - Benfica: "Assalto à Choupana"
11 Antevisão Liga Europa: "Repetir feito histórico" + Opinião João Diogo
12 Mercado de Inverno: "Três caras novas com ambição"
13 Equipa B: "Máquina goleadora" + Opinião Pedro Ferreira
15 Opinião Pragal Colaço: "A pala oficial caiu"
16/17  Bigger's Better e Show Fight: "Vai ser um evento de dimensão internacional"
18 Juniores: "Quebrar malapata" + Juvenis: "Voltar às vitórias"
19 Iniciados: "Novo duelo no CFC"
20 Atletismo: "A união foi a chave do sucesso"
21 Atletismo: "Todos a Pombal"
22 Triatlo - Entrevista a João Silva: "Temos equipa com potencial para vencer os títulos nacionais"
23 Judo - Telma vence Open de Sófia: "Foi bom ouvir o hino" + Canoagem: "Ambição para a nova época"
24 Basquetebol: "Quinto duelo é na Luz"
25 Voleibol: "Teremos de lutar muito" + 70 anos de edição Jornal "O Benfica"
26 Râguebi Feminino: "Já são Campeãs" + Xadrez: "Benfica volta a criar secção da modalidade"
27 Hóquei em Patins: "Mantêm-se líderes" + Futsal: "Viagem ao norte"
29 Clube - The Script visitaram Estádio: "é uma honra incrível..."
30 Tome nota + BTV
31 Opinião Afonso Melo: "Doze-a-dois na tarde do furacão vermelho!"
32 Clube - visita: "NATO impressionada" + Opinião Luis Fialho + Breves

fevereiro 06, 2013

FPF no seu melhor sistema

Sobre decisão do CD da FPF 

Comunicado: O absurdo e o bizarro


Decidiu o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol remeter para a Comissão de Instrução de Inquéritos da Liga uma denúncia anónima que, supostamente, relata a utilização irregular de jogadores do Benfica no jogo com a Académica de Coimbra, a contar para a Taça da Liga.

Situação bizarra esta, uma vez que a Conselho de Disciplina da FPF viola com esta actuação os regulamentos que deveria cuidar de fazer respeitar. Denúncias anónimas e sem fundamento devem ter um único tratamento por parte deste órgão disciplinar: lixo.

Em segundo lugar, no caso do Benfica, manifestamente quem tomou tal decisão, parece desconhecer a letra e o espírito do regulamento de competições.

Quem fez a denúncia tinha um único objectivo: confundir situações que não são comparáveis. Só se estranha a absurda decisão do CD da FPF.
 In Slbenfica


Estas bestas querem confundir, melhor dividir para reinar, e não punir os corruptos com perca de pontos e expulsa-los da taça da liga.Que merda de justiça existe neste futebol.

fevereiro 03, 2013

SLBenfica – V. Setúbal, 3-0



SLBenfica – V. Setúbal, 3-0: Iniciar à bomba e fechar com “nota artística”


A equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica regressou ao contacto com o seu público após o jogo com o FC Porto. Diante do V. Setúbal, os “encarnados” triunfaram por 3-0, com tentos de Enzo Perez, Lima e Rodrigo.

No onze de Jorge Jesus, a surpresa pode-se considerar Luisinho que foi titular no lugar de Melgarejo no lado esquerdo da defesa. No lugar de Matic jogou André Gomes e Rodrigo ocupou o lugar, por norma, preenchido por Cardozo.

O encontro começou com forte avalanche de ataque benfiquista. Aos 4’, Rodrigo obrigou Kieszek à primeira grande estirada da noite, num livre superiormente marcado. Um minuto volvido, Enzo Perez inaugurava o marcador na Luz. Jogada de Salvio, pareceu fazer o passe para Maxi Pereira, este deixou para Enzo Perez, que, à entrada da área, colocou o esférico na “gaveta”.

Após o golo, a equipa da casa baixou ligeiramente o ritmo, gerindo a posse de bola, maioritariamente, no meio-campo contrário. Foi assim que aos 36 minutos, os da Luz voltaram, a ter mais uma oportunidade flagrante. Maxi Pereira assistiu de bandeja mas Rodrigo, com a baliza escancarada, atirou ao lado.

Ao intervalo, percebia-se que o Benfica poderia ter conseguido mais do que o 1-0 que o “placard” assinalava.

Tal como tinha começado a primeira parte, o Benfica iniciou a etapa complementar a marcar. Aos 48’, Lima, frente a frente com o guardião polaco do V. Setúbal, rematou cruzado sem hipóteses. Referência para o “passe de mestre” de Luisão para o avançado.  

O avançado brasileiro, Lima, estava imparável e após receber o esférico de Rodrigo, aguentou a carga e deu de novo a Rodrigo para encostar a contar (55’).

Com o resultado em 3-0, o conjunto da casa continuou a carburar em busca da goleada, mas a defensiva e o guarda-redes Kieszek foram evitando o quarto dos da Luz.

A quebrar a monotonia sadina, aos 86’, uma boa defesa de Artur, na única vez em que os homens de José Mota se acercaram com perigo das redes “encarnadas”. O disparo foi de Pedro Santos.

O jogo acabou por ser tranquilo para os comandados de Jorge Jesus e valeu o regresso à liderança do Campeonato ex-aequo com o FC Porto.

O Sport Lisboa e Benfica actuou com o seguinte onze: Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay, Luisinho; André Gomes, Enzo Perez (Urreta, 84’), Salvio (Gaitán, 64’), Ola John; Rodrigo (Aimar, 71’) e Lima.

Texto: Marco Rebelo
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica