setembro 11, 2012

Arons de Carvalho in "O Benfica"



Em grande

1.Domingo em grande. Começou com duas saborosas vitórias nas Supertaças de Futsal e Andebol. Terminámos a época passada com quatro títulos nacionais, iniciámos esta já
com duas Supertaças. Excelente. Depois um complicado mas indiscutível 3-0 sobre o Nacional. Antes e depois, duas "sombras": as saudades de Javi Garcia e Witsel e a preocupação por algum desequilíbrio que se nota no plantel - muitas (e boas) opções atacantes, bem escassas alternativas do meio campo para trás.

2.Carlos Barbosa da Cruz, na sua coluna de opinião no Record, vem, à boa maneira sportinguista, desvirtuar a história, referindo que o Sporting cedeu os seus direitos ao Benfica em 1941, quando o nosso Clube ficou sem o seu campo das Amoreiras (para possibilitar a construção da auto-estrada) e passou para o Campo Grande. E, pelo meio, ainda diz que o nosso Clube “já nessa altura se encostava bem”, falando em “pressões políticas”.
É preciso lata! Tão bem se “encostava” que veio a fazer a inauguração do novo campo a 5 de Outubro (de 1941), data da implantação da república e que tão mal vista era pelo regime de Salazar. Pois acontece que o campo onde o Benfica passou a jogar (o campo do Campo Grande) nunca pertenceu ao Sporting, foi sim arrendado ao clube até 1936, ano em que o Sporting ali deixou de jogar. E o Benfica passou a utilizá-lo pagando uma renda de 600$ mensais à Câmara. E enquanto fez obras no campo e bancadas o Benfica utilizou para os seus jogos também os campos do Belenenses e da Cuf e não só o do Sporting.

3.A propósito das colunas de opinião dos jornais, continuo a dizer que o Benfica está, de uma forma geral, mal representado. Em A Bola, registou-se a inacreditável exclusão de Ricardo Araújo Pereira (com medo de perderem Miguel Sousa Tavares!). No Record, muito estranhamente, entre os seis” opinadores" que escrevem semanalmente artigos nos dois espaços diários do jornal e não estão na condição de jornalistas independentes, nada menos de quatro são assumidamente do Sporting (Alberto Rosário, Daniel Oliveira, Carlos Barbosa da Cruz e Miguel Salema Garção), um do FC Porto (Júlio Magalhães) e um do Benfica (Rui Rangel) … que ainda por cima só escreve de duas em duas semanas, alternando com Salema Garção.
Uma grande discriminação! E a António Pedro Vasconcelos, que há algumas semanas fez dois excelentes artigos de defesa do Benfica, terão dito que não lhe poderiam pagar….














Sem comentários: