maio 03, 2013

Meias-finais da Liga Europa SLBenfica – Fenerbahçe, 3-1


SLBenfica – Fenerbahçe, 3-1: Encontramo-nos em Amesterdão!

Lisboa parou no fim de tarde do dia 2 de Maio para ver o jogo das meias-finais da Liga Europa. Todos os caminhos iam dar ao Estádio da Luz, contrariando o velho ditado que diz que todos os caminhos vão dar a Roma.

Com um ambiente avassalador, as bancadas da Luz revestiram-se de vermelho para receberem os artistas que não deixaram os créditos por mãos alheias e venceram por 3-1, garantindo a presença na Final de Amesterdão.

O Benfica entrou forte nos primeiros 20 minutos, marcou e criou uma série de oportunidades para ampliar a vantagem. A primeira foi logo aos 7’ através de uma jogada de Gaitán que cruzou para Cardozo com este a amortecer para um Lima que cheirava o golo que não foi.

Não foi ali, foi logo de seguida. O “placard” da Catedral ganhou cor com o tento de Gaitán, que em antecipação, disse “sim” a um excelente cruzamento de Lima. Os cachecóis estavam ao alto!

Com uma elevada pressão – o Fenerbahçe nem passava do seu meio-campo – os jogadores do Benfica recuperavam várias vezes a bola e numa delas, aos 17 minutos, logrou um ataque rápido conduzido por Enzo Perez, deixou para Maxi Pereira e este centrou para cabeceamento de Cardozo ao lado.

Percebia-se que a formação turca não ia ter tarefa fácil, mas o árbitro Stéphane Lannoy deu uma “ajudinha” ao assinalar uma grande penalidade disparatada contra o Benfica. O holandês, Dirk Kuyt não se fez rogado e empatou a partida (22’).

A turma da Luz não sentiu o golo e continuou na sua filosofia de jogo: ofensiva, sufocante, organizada. Decorria o minuto 31 quando Salvio serviu Cardozo. O paraguaio rematou de primeira, de forma vistosa, mas o esférico saiu ligeiramente por cima. Era um tento de bandeira!

A maior avalanche ofensiva redundou em golo aos 35 minutos. Enzo Perez marca um livre de forma rápida, Cardozo recebeu e atirou certeiro. Estava feito o 2-1 e, de novo, festa nas bancadas muito bem compostas.
Empolgados pelo golo, os futebolistas à guarda de Jorge Jesus foram atrás de mais um. Lima trabalhou bem, assistiu Salvio com este a rematar, mas Demirel defendeu.

Pelo meio, o juiz Stéphane Lannoy fez “vista grossa” a falta passível de grande penalidade para o Benfica, por falta sofrida por Gaitán.
Ao intervalo, o 2-1 sabia a pouco para os portugueses.

Na etapa complementar foi mais do mesmo. O Benfica com muita posse de bola e a jogar no meio-campo adversário, somando as melhores oportunidades para marcar. Aos 62’, Gaitán serpenteou na esquerda, viu Lima, mas o avançado atirou ao lado depois de se antecipar a Demirel. Quatro minutos depois, o Estádio da Luz quase ia abaixo de alegria! Salvio efectuou um lançamento de linha lateral, a bola sobrou para Cardozo e este não se fez rogado e bisou.
Cada vez mais Benfica e aos 71’ houve “nota artística” com Gaitán a assistir Lima de calcanhar. Este isolado permitiu a defesa de Demirel.

Com o apito final foi o jubilo dos adeptos, pois marcam a presença na Final da Liga Europa que terá lugar em Amesterdão a 15 de Maio frente ao Chelsea.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay e André Almeida; Matic, Enzo Perez, Salvio e Gaitán (Roderick, 90’); Cardozo (Urreta, 87’) e Lima.

Texto: Marco Rebelo
Fotos: Gualter Fatia / SL Benfica

Sem comentários: