abril 29, 2013

Marítimo - SLBenfica, 1-2


Marítimo - SLBenfica, 1-2: Uma peróla de vitória!
Foi com pragmatismo, convicção e sofrimento q.b. que o Sport Lisboa e Benfica trouxe da Pérola do Atlântico mais uma decisiva vitória rumo ao grande objectivo da época: a conquista do título. Lima e Igor Rossi (pb) marcaram os golos benfiquistas de uma partida que, longe de ser espectacular, cumpriu o desejado. Aguenta coração…

Jorge Jesus tinha-o dito na Conferência de Imprensa de antevisão à partida: “O Marítimo será difícil… mas estamos confiantes”. E confiança foi mesmo a palavra de ordem, uma confiança plena de humildade e raça… como se quer num Benfica conquistador.

Desde que aterrou na Madeira, onde era esperada e foi saudada por largas centenas de benfiquistas, a equipa “encarnada” contou com o apoio da onda vermelha, uma onda que se arrasta, motiva, uma onda que se aglutina e cresce.

O que dizer das bancadas do Caldeirão dos Barreiros? Bancadas vestidas de vermelho rubro, de crença e fé, adjectivos que rapidamente galgaram metros e invadiram o relvado (em péssimo estado!) contagiando os jogadores…

Por tudo isto, e por muito, muito mais… entrada personalizada, “à Benfica”! E essa postura rapidamente deu frutos: aos 4’, Márcio Rozário só encontrou uma forma de parar Lima e o árbitro, Manuel Mota, prontamente apontou para a marca de grande penalidade. Na conversão, o brasileiro não se fez rogado e inaugurou o marcador nos Barreiros.

Na resposta, falta de Matic e, na conversão, bola no poste da baliza à guarda de Artur… a sorte protege os audazes!

Benfica em vantagem muito cedo na partida… bola lá bola cá, com ambas as formações a deixarem a emoção falar mais alto e a encontrarem nítidas dificuldades em pensar o jogo. Os “encarnados” que, com mais três pontos, mantinham-se firmes rumo ao 33.º título; o Marítimo que, à partida para este desafio se encontrava no 7.º posto, e que dava o tudo por tudo na luta por um lugar europeu.

Consequências? Fraco espectáculo, numa primeira metade sem grande brilho e com poucas oportunidades, no entanto, foi mesmo a equipa da casa quem puxou dos galões. Perante um Benfica demasiado expectante, a gerir uma vantagem curta, o Marítimo acabou mesmo por chegar ao empate, fruto de uma maior pressão. Aos 41’, cruzamento largo a atravessar toda a área, perante uma defensiva meio adormecida e Maxi Pereira agarrado e impedido de disputar o lance, onde aparece Igor a voar de cabeça para o 1-1.

É disto que se fazem os campeões!

Reinício da partida e mais Benfica, muito, muito mais Benfica, com o Marítimo a claramente recuar as linhas. Primeiro, contra-ataque rapidíssimo, Rodrigo, na cara de Salin, remata ao lado; aos 52’, remate poderoso de Lima, bola na trave; aos 54’, bola no poste… Lima.

Com meia hora para jogar Jorge Jesus mexe na estrutura e coloca Cardozo, abdicando de Ola John. O Benfica pegou no jogo definitivamente, com o Marítimo, a espaços, a tentar espreitar o contra-golpe.

O Benfica carrega, carregava e, aos 71’, justiça! Salvio vai à linha, cruza e Igor Rossi, desta feita na própria baliza, a fazer o 2-1 para os “encarnados”.

Sai Rodrigo, entra Carlos Martins, com o Benfica a ganhar aqui maior poder de fogo e raça no meio do terreno. Mais Benfica, muito mais Benfica, com a emoção a permanecer até ao fim, face a um Marítimo que nunca deitou a toalha ao chão.

Até ao apito final, humildade, entrega, capacidade de sofrimento e entreajuda… predicados essenciais a um Benfica que se quer Campeão! Nós acreditamos…

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay, André Almeida; Matic, Enzo Perez, Salvio, Ola John (59’, Cardozo); Lima (90’, Roderick Miranda) e Rodrigo (75’, Carlos Martins).
Texto: Sónia Antunes
Fotos: Arquivo / SL Benfica

Sem comentários: