agosto 01, 2009

Crónica Semanal do Ricardo Araújo Pereira

In Abola

Paciência, Domingos

John Lennon disse que os Beatles eram mais populares do que Jesus; Domingos Paciência acha que é melhor do que Jesus. Enfim, cada maluco com a sua mania. Por enquanto, o Braga fez apenas um jogo — e já fez pior do que na época passada. Há que dizer que foi azar: Domingos não esperava, certamente, que o cruel sorteio europeu o colocasse frente a frente com o poderoso Elfsborg. É verdade que, no ano passado, o Braga venceu a Taça Intertoto mas, que me lembre, Jesus não apanhou qualquer equipa sueca (sempre as mais complicadas). A primeira derrota do clube na UEFA foi sofrida em Itália, no último minuto do jogo contra um clube mais ou menos desconhecido (um tal Milan). E depois chegou aos oitavos-de-final, mas sempre sem apanhar pela frente colossos do nível de um Elfsborg.
Na quarta-feira, acompanhei o Sporting-Twente pela televisão. Infelizmente, tenho o aparelho avariado: todo o jogo estava a ser transmitido em 4:3, mas o Rochemback estava em 16:9. É das avarias mais esquisitas que um televisor pode contrair: toda a gente está normal, menos um jogador que aparece num formato mais achatado e largo. Estranho. Felizmente, captei o resto do jogo normalmente, e pude constatar que o Sporting tem já uma equipa equilibrada e coerente: os mesmos assobios que se ouviram no final do jogo de apresentação, ouviram-se agora no fim do primeiro jogo oficial. No fundo, é para isto que serve a pré-época: para ganhar rotinas e automatismos que depois podem ser aplicados nos jogos oficiais.
Há dias, José Eduardo Bettencourt estranhou que os sportinguistas estivessem preocupados com os reforços do Benfica. Para ele, o Benfica reforça-se todos os anos, mas o grande adversário do Sporting é o Porto. Acaba por ser divertido que o presidente de um clube seja o último a perceber o que a generalidade dos sócios já sabe há umas semanas. O grande adversário do Sporting não é o Porto. Tendo em conta os resultados até ao momento, o grande adversário do Sporting são todas as equipas que sejam superiores ao Atlético do Cacém.
Se alguém tinha dúvidas de que o Porto é um clube único, ontem desfê-las: enquanto os outros clubes (com a excepção do Sporting) vão evoluindo durante a pré-época, o Porto regride. Ontem fez a pior exibição até agora e falhou a final de um torneio. A única excepção é Bruno Alves, que está um jogador cada vez mais completo: agora até já faz assistências para golo. Por enquanto, só para golos dos adversários, mas não se pode querer tudo.

Sem comentários: