agosto 23, 2012

Quatro Linhas _ Rui Rangel



Benfica campeão


Todos os benfiquistas querem que o clube volte, de forma regular, às vitórias no campeonato e a uma participação de excelência na Champions. A dimensão da nação benfiquista e a sua grandeza não são compatíveis com a irregularidade nos campeonatos, nem com as derrotas. O Benfica não pode continuar a estar atrás do Porto nas vitórias e na liderança da Liga. E só se é verdadeiramente campeão se liderarmos e esmagarmos quem nos quer amarrar a um colete-de-forças.

O Benfica nasceu, há muitos anos, para liderar o futebol e para ganhar. E na história grande deste clube sempre que fomos grandes a união foi a marca genética dos êxitos. União nos princípios e naquilo que deve ser a essência do Benfica. Todos os que aí estavam amavam o Benfica. Mas a união de pensamento e o cerrar das fileiras não significa unicidade nas ideias nem pensamento único. O Benfica só pode ter uma voz, a do seu presidente.

É preciso perceber que se faz a união debatendo e discutindo, no interior, até ao osso, o Benfica. Gente sem ideias e que só quer ter lugar no camarote presidencial não faz o Benfica campeão. Todos podemos ter ideias sobre como deve ser organizada a direcção, o departamento de futebol, a blindagem do balneário, quem deve ser o treinador, sobre a aquisição de jogadores, sobre as contas e a situação financeira do clube. Mas numa coisa estamos e devemos estar unidos: nas vitórias e nos êxitos.

E neste caldo de cultura, único, para consolidar um projecto vencedor, é também preciso que, internamente, quem for dirigente perceba o que é a honestidade intelectual e a lealdade. E não faça aquilo que Barroso, no Sporting, tem feito a Godinho Lopes, o rosto da verdadeira oposição. Estar dentro do projecto e agir como se estivesse fora não é elegante nem honesto. O Benfica também sofre um pouco destes pecadilhos, de forma subterrânea e menos visível.

Tudo ou quase tudo se sabe no Benfica e nada ou quase nada se sabe no FC Porto. Temos de ganhar ao Porto no futebol, na organização e na união. Uma direcção forte, coesa e ganhadora passa por ter gente séria, leal e de qualidade. O campeonato aí está e o Benfica não pode voltar a falhar, até porque Vieira construiu uma boa equipa de futebol, pese embora pequenos ajustamentos que têm de ser feitos. Em nada esta equipa de futebol é inferior à do FC Porto.

As grandes questões do Benfica são futebol, organização, situação financeira e só depois vem a comunicação. As eleições estão à porta, com o campeonato à velocidade cruzeiro. Devemos, como princípio, trabalhar todos por essa união, em torno de um projecto credível e vencedor. A união leal e sustentada pode e deve existir. O Benfica de Eusébio, dos sócios que o amam e das vitórias no campeonato agradecem. E se assim for o FC Porto estremece! 

In Record

2 comentários:

Atlas disse...

Este senhor como juiz se fizer tudo o que pode e deve fazer no campo da justiça o Benfica será mais vezes campeão do que os rivais juntos. O Benfica só não é mais vezes campeão porque a justiça não é igual para todos.

ALM disse...

Admiro-me de não ver aqui vários comentários de apoio! isto sim, é falar, é defender o Benfica.

Ó Atlas: A Primavera não se faz só com uma andorinha. Como o Juiz quer dizer, temos de juntar as Águias todas.