agosto 31, 2014

Benfica – Sporting, 1-1


Benfica – Sporting, 1-1: Pormenores ditam empate injusto no dérbi
3.ª jornada da Liga portuguesa

Este domingo todos os caminhos foram dar ao Estádio da Luz, palco do dérbi dos dérbis em Portugal e que foi o “prato principal” da 3.ª ronda do Campeonato Nacional. O público aderiu e encheu quase por completo as 65 mil cadeiras da Catedral dando um colorido bonito ao ambiente, já ele, escaldante de um jogo desta dimensão. Ao cabo dos 90 minutos, empate a uma bola, com o tento do Benfica a ser marcado por Gaitán.

Digno deste jogo foi o seu início com ambas as equipas a jogarem o jogo pelo jogo. O Sporting foi a primeira equipa a estar perto do golo aos três minutos com Slimani a cabecear e a ficar perto do golo após pontapé de canto marcado por Jefferson.

Apesar de bem vivo, as melhores oportunidades surgiam nas bolas paradas. Aos cinco minutos foi o Benfica estar perto de ser feliz. Livre de Talisca ao qual respondeu Rui Patrício a sacudir para canto e na sequência, Luisão rematou para nova defesa.

O jogo estava animado e o primeiro festejo nas bancadas surgiu aos 11 minutos. Excelente jogada de entendimento entre Salvio e Maxi Pereira na direita, com este último a deixar o esférico para Gaitán que de pé direito bateu Rui Patrício. Logo de seguida foi um remate de Lima à meia volta que criou novo “frisson” na Luz.

A perder, o Sporting reagiu tentando carburar jogo ofensivo, nomeadamente através de Carrillo. Porém, foi o Slimani que marcou ao aproveitar uma abordagem menos positiva de Artur a um atraso de bola de Eliseu (19’).

Bem disputado a meio-campo, o encontro continuava a oferecer oportunidades para ambos os emblemas. Ao tiro de Eliseu por cima da barra da baliza “leonina”, respondeu Slimani com um remate frouxo na área para defesa de Artur, mas deveria ter sido assinalado fora-de-jogo ao argelino.

Depois de o Benfica ter começado melhor, o Sporting equilibrou a contenda e o empate ao intervalo aceitava-se. No reinício foi de novo Gaitán a “abrir o livro” ao tentar um chapéu após passe milimétrico de Enzo Perez. De seguida uma jogada com Tango. Gaitán centrou e à entrada da área, Salvio rematou um tudo-nada ao lado.

O Benfica continuava a carburar e após duas jogadas rápidas, Enzo Perez primeiro e Salvio depois estiveram bem perto do 2-1. Logo de seguida foi André Almeida a cabecear para a defesa da noite de Rui Patrício. Só dava Benfica e Salvio atirou às redes laterais após cruzamento de Lima.

Quando o jogo estava ao chegar ao fim, Artur fez a defesa da noite a remate de Capel. Desta forma, o Benfica passa a somar sete pontos.

Registo para o critério demasiado largo de Pedro Proença que permitiu inúmeras vezes entradas à margem da lei por parte dos adversários sem que fosse assinalada qualquer falta.
O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu; André Almeida, Enzo Perez, Gaitán, Salvio, Talisca (Derley, 86’) e Lima.

Texto: Marco Rebelo
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

Sem comentários: