janeiro 31, 2010

Liga Sagres SLBenfica_Guimarães

In ABola



Benfica derrota V. Guimarães (3-1)
O Benfica recebeu o V. Guimarães e venceu por 3-1, em jogo da 17.ª jornada da Liga, que também representou o quarto encontro entre ambas equipas esta época. A águia continua no topo da Liga em igualdade pontual com o Sp. Braga.

A turma da Luz começou ambas as partes mais forte a nível ofensivo e o resultado foi igual, pois conseguiu sempre colocar-se em vantagem.

No primeiro tempo Aimar abriu o marcador, aos 17 minutos, mas os vitorianos conseguiram estancar os lances ofensivos dos «encarnados» e Nuno Assis fez a igualdade aos 32.
Na etapa complementar, os «encarnados» entraram novamente com um grande pendor atacante e Carlos Martins destacou-se pela positiva e pela negativa. O médio bisou aos 50 e 60 minutos. O primeiro com um remate bem colocado e o segundo com uma «bomba» de fora da área.

Carlos Martins acabou por ser expulso aos 72 minutos, recebendo o segundo amarelo por mão na bola. O médio foi admoestado pela primeira vez aos 42 por entrada ríspida sobre Nuno Assis.

A partir da expulsão do português, os vimaranenses soltaram-se e mudaram para uma estratégia mais ofensiva. Só que o Benfica, todavia, não deixou de criar perigo e conseguiu duas oportunidades claríssimas de golo. Cardozo isolou-se e não conseguiu bater Nilson e Éder Luís deixou o guardião dos minhotos desviar a bola para a barra.

Sob arbitragem de Elmano Santos (Madeira), as equipas alinharam:

BENFICA: Quim; Maxi Pereira, Luisão, David Luiz e Fábio Coentrão; Javi García, Carlos Martins, Di María e Pablo Aimar (Rúben Amorim, 74); Saviola (Éder Luís, 76) e Óscar Cardozo (Alan Kardec, 88).

Suplentes: Júlio César, Miguel Vítor, Rúben Amorim, César Peixoto, Éder Luis, Alan Kardec e Nuno Gomes.

V. GUIMARÃES: Nilson; Alex (Roberto, 68), Moreno, Valdomiro e Leandro (Fábio Felício, 65); João Alves, Custódio, Targino (Marquinho, 34), Nuno Assis e Desmarets; Douglas.

Resultado: 3-1

Marcadores: 1-0 por Aimar (17), 1-1 por Nuno Assis (32), 2-0 e 3-0 por Carlos Martins (50 e 60).

Sem comentários: