janeiro 25, 2015

Miklos Fehér partiu há 11 anos



Para sempre o… 29

Onze anos depois as memórias e as saudades permanecem vivas. Miklos Fehér é recordado pelos adeptos portugueses e pelo povo húngaro após a sua morte em pleno campo de jogo, em 2004.

Neste domingo, dia 25 de janeiro, cumprem-se 11 anos da morte de Miklos Fehér e como tal, seria impossível esquecer esta data que tanta dor provocou no Universo do Sport Lisboa e Benfica e também no restante seio futebolístico.

Ninguém esquece aquele momento, um cartão amarelo do árbitro, a seguir um sorriso completado com uma mão a soltar o cabelo, o inclinar com as mãos sobre os joelhos e o cair inanimado. É esta a sequência que ficou na memória de quem viu e assistiu aos minutos finais do jogo entre o Vitória de Guimarães e o Benfica, que decorreu no estádio D. Afonso Henriques. Este foi o jogo que marcou a 20.ª jornada da época 2003/04 do Campeonato Nacional.

O jogador de 24 anos partiu cedo demais, vítima de uma paragem cardíaca, deixando para trás um futuro promissor. Este acontecimento deixou marcas no Clube da Luz que desde então realizou iniciativas para homenagear o jogador.

Um ano após a sua morte o Benfica, em sua memória, colocou um busto de Miklos Fehér no átrio da porta 18 do Estádio da Luz. O número 29 foi retirado do plantel e nenhum outro futebolista o poderá vestir, sendo assim Miki o último a envergar esta camisola desde 2002, ano em que chegou à Luz. No final da época, o Benfica ganhou a Taça de Portugal e dedicou-a a Fehér.

Outra forma de homenagem foi a instituição do prémio Miklos Fehér, uma parceria entre a antiga escola do jogador, em Goyr, e o Sport Lisboa e Benfica, que todos os anos distingue professores e alunos que sobressaiam em diversas áreas nessa escola, o que os traz anualmente a Lisboa.

O atleta continua a ser recordado pelo Clube. No ano passado, por exemplo, a equipa de Juvenis do Sport Lisboa e Benfica, que venceu o torneio Audi Hungria ETO U16 Football Cup, em Goyr, visitou o túmulo de Miki, deixando uma coroa de flores.

Na cidade natal, os pais do ex-jogador abriram um museu onde estão expostas todas as conquistas do avançado. O Gyor Eto FC, clube que descobriu o talento do desportista construiu uma Academia de Futebol e um colégio, em sua homenagem. Anualmente, em sua memória, é realizado um jogo que junta várias estrelas locais, em Dezembro.

FC

Sem comentários: