junho 21, 2011

Aqui á Gato _ Miguel Góis


Comunicado

Para não destoar do Sport Lisboa e Benfica, também eu gostaria de me despedir do Nuno Gomes através de um comunicado. Adeusinho, Nuno. Boa sorte e tal. Pronto, já está. Venha o próximo avançado!

Apercebo-me, agora, de que esta talvez não seja a forma mais urbana de um clube se despedir daquele que foi o 8.º jogador da sua história com mais golos no campeonato nacional (só atrás de Eusébio, José Águas, Nené, Torres, Arsénio, Julinho e Rogério “Pipi”). É certo que a oferta de um posto na estrutura da SAD funciona como atenuante. Mas o cargo oferecido – diretor de Relações Externas – não me parece o indicado. Acredito sinceramente que, nesta altura, o Benfica precisaria mais de um diretor de Relações Internas: alguém que, entre outras coisas, evitasse que jogadores com 12 anos de casa abandonassem o clube sem ser homenageados.

Lembro-me de, precisamente no primeiro desses 12 anos, haver entre os adeptos do Benfica “O Debate Nuno Gomes”: era um ponta-de-lança puro, ou rendia mais a segundo avançado? Atrás de Brian Deane, na época 97/98 fez 22 golos em 40 jogos. É segundo avançado! No ano seguinte, à frente de João Vieira Pinto fez 34 golos em 43 jogos. É ponta-de-lança! Foi o fim do debate. É jogador!

Também não me esqueço do passado recente. Este seu último ano de águia ao peito ficará na história: 5 golos em apenas 95 minutos. Em termos estatísticos, parece-me evidente que, se o Jesus tivesse posto Nuno Gomes a titular no Dragão para o campeonato, o jogo teria acabado empatado.

E, desta forma, o Nuno fica a saber por este texto que lhe estou muito agradecido. Julgo que não o estranhará, uma vez que está habituado a tomar conhecimento de muitas coisas pelos jornais.

 In  Record

Sem comentários: