junho 22, 2011

Email Aberto _ Domingos Amaral



Perigos

From: Domingos Amaral
To: Jorge Jesus

Caro Jorge Jesus
Se até Eusébio, o melhor jogador de sempre da história do Benfica, foi dispensado a dada altura, jogando ainda em vários clubes (Beira-Mar, Cosmos, União de Tomar) até pendurar as suas mágicas botas, não deve ser dramatizada a saída de Nuno Gomes, um dos poucos grandes jogadores que passaram na Luz na última década. Contudo, em tudo na vida há um contexto, e o contexto atual é perigoso, principalmente para ti. Neste momento, saíram do Benfica todos os jogadores que empolgavam os adeptos (a “emoção” de que aqui falou Daniel Oliveira há uns dias). Saiu Di María, saiu David Luiz, sairá Coentrão, e saíram também Mantorras e Nuno Gomes. Não há, para já, quem os substitua. Nem Aimar, nem Saviola, nem Luisão, nem Cardozo levam a Luz à euforia. E isso é um problema para ti, que depois da época tão sofrida que tivemos também já não excitas as bancadas como dantes. A ausência dessa “química” afetiva tem efeitos, não só na venda de bilhetes, mas principalmente na fragilidade da tolerância para contigo e com a equipa. Os benfiquistas estão frustrados, com o ego dilacerado, desconfiados de ti e das tuas ideias. Para regressarem à comunhão geral, necessitam de um “shot” de vitaminas que só os golos e as vitórias conseguem injetar. É essa a tua cruz. Sem o escudo protetor das estrelas que a Luz adorou, encontras-te desprotegido e num estranho paradoxo: tens mais poder no balneário, mas também estás mais sozinho e vulnerável à fúria dos adeptos. Quando eu era miúdo, havia uma série chamada “O Perigo é a Minha Profissão”. Lembro-me sempre disso quando penso em ti.


 In  Record

Sem comentários: