fevereiro 20, 2012

Benfica, o meu relógio biológico



As senhoras dizem que têm um relógio biológico. Eu acredito na teoria, porque também tenho um: o Benfas. É este relógio que controla a minha semana. A quarta-feira e o sábado/domingo são as âncoras emocionais da vidinha semanal. Se não há jogos nesses dias, sou invadido por aquela sensação dinamarquesa do "to be or not to be". Se não há jogo à quarta, entro em stress. Se não há jogo ao fim-de-semana (como neste que passou), transformo-me num fumador preso na cantina da ASAE, rebolando por todos os lados, ressacando com a falta da nicotina que vem de chuteiras. Este biopoder é tão potente que eu até aposto que todos os meus filhos nascerão durante um jogo do Benfica.

Como é óbvio, este biofanatismo tem fortes efeitos secundários, a começar por uma constante abandono do lar (o Benfica potencia o Schettino que há em mim). A minha mulher não me deixa ter Sport-tv, logo, tenho de inventar mil pretextos para ir ver a bola à casa dos velhos. Ou, então, tenho de procurar um gélido café. Mas a bola no café equivale a forte sarilho. Não, não estou a falar do lagarto que vai ao café para picar os nervos lampiões. Estou a falar dos idiotas que levam o rádio e que, por isso, gritam golo quando a bola ainda está no Artur. Há pouca gente mais irritante do que esta sub-espécie de homo sapiens, o gajo que vai ver a bola com um rádio escondido no ouvido. Tenho a impressão de que já espanquei um: não se mexe assim com as hormonas de uma pessoa.

E as minhas hormonas encarnadas não gerem apenas a semana, também gerem o calendário inteiro, ou seja, a minha relação com tempo. Durante anos e anos, pensei que a sensação de recomeço que acompanha o final de Agosto e o início de Setembro era provocada pelo início das aulas. Tretas. Tretas de um fanático anónimo. Deixei de estudar há muito tempo, e a sensação continua activa. O final do verão sabe a réveillon, porque marca o início da época de futebol, perdão, o início da época em que o Benfica vence todas as provas ou da época em que o Benfica, em toda a sua magnanimidade, deixa que outros clubes menores vençam algumas provas. Sim, podem acreditar nas senhoras: os relógios biológicos existem mesmo.

In Expresso

Sem comentários: