dezembro 10, 2011

Futebol á Portuguesa _ José António Saraiva



Outra desilusão

A observação dos últimos jogos confirmou aquilo que já escrevi: o Sporting é a equipa que, neste momento, pratica melhor futebol. Tendo comprado um lote de jogadores muito heterogéneo e a preços relativamente baratos, conseguiu em tempo recorde fazer uma equipa unida, alegre, competitiva, com alma, capaz de entusiasmar os adeptos e de fazer renascer a esperança na conquista de títulos.

Domingos é o grande obreiro deste milagre e merece todos os elogios. A sua equipa joga em todo o campo, faz pressão em todo o campo, corre que se farta, sendo um quebra-cabeças para qualquer adversário. O Benfica que o diga.

O Benfica apresentou-se este ano diferente: mais calculista, mais cínico e muito menos espetacular. Está longe das exibições de há dois anos, em que somava goleadas e encantava os adeptos. Julgo que Jesus ainda não encontrou o necessário equilíbrio entre a espetacularidade e a segurança defensiva, que foi o mal da época passada. E a equipa parece frequentemente perra, com vários jogadores apresentando dificuldades físicas.

O FC Porto tinha ontem o seu grande teste e não passou. Vítor Pereira, às vezes com alguma falta de sorte, como ontem, vai perdendo o crédito. Mas, independentemente dos resultados, está à vista que a equipa caiu do ano passado para este. Joga um futebol mais triste, mais cinzento, com poucas oportunidades de golo, parecendo uma sombra do onze temível que encantou Portugal e a Europa. E vive cada vez mais da genialidade de Hulk. Há equipas que dependem dos treinadores. No FC Porto passa-se hoje o contrário: o treinador depende de um jogador.


In Record

Sem comentários: