outubro 20, 2011

Email Aberto _ Domingos Amaral


Bomba-relógio


From: Domingos Amaral
To: Fernando Gomes

Caro Fernando Gomes
Há uns meses, e ainda apenas presidente da Liga, o senhor declarou que o endividamento dos clubes junto da banca era insustentável, e que o modelo económico em que eles assentaram nos últimos anos, o do crédito fácil, tinha de mudar. Mas mudar para o quê? Não existindo mecenas que nos comprem os clubes, como os sheiks árabes ou os milionários russos, de onde virá o dinheiro? As receitas de televisão são fracas e, mesmo que melhorem, não creio que possam voltar a substituir a banca, como aconteceu no passado com a Olivedesportos. As vendas de jogadores podem render, mas é preciso produzir continuamente novos talentos para que a coisa resulte. E mais vale não esperar nada das receitas dos jogos. Com a brutal recessão que se aproxima, com mais impostos e novos cortes salariais, com suspensões de décimos terceiros e quartos meses, onde irão os portugueses arranjar dinheiro para ir à bola?

Sendo assim, como poderão os três grandes continuar a pagar salários milionários, a fazer contratações caras, a encher estádios? Será que os nossos bancos, ou mesmo alguns europeus, que estão entalados até ao pescoço, já não sobrevivem sem a ajuda do Banco Central Europeu e não conseguem dar crédito a empresas e particulares, ainda têm um cofre secreto de onde sairão os milhões para financiar o futebol? Ou a única saída é, como acontece com o Estado e o país, uma brutal cura de austeridade?

Veja se pensa nisto, pois se chegar a presidente da FPF, esta bomba-relógio, cujo tic-tac se ouve cada vez mais, vai rebentar-lhe nas mãos.


In Record

Sem comentários: