outubro 27, 2011

Futebol á Portuguesa _ José António Saraiva



Sporting à antiga


O Sporting é, neste momento, a equipa que joga melhor futebol em Portugal, o que não deixa de ser surpreendente. Mas esta época tem sido um turbilhão de surpresas. Começou com o FC Porto a dar ideia de que iria passear-se pelo campeonato, depois foi o Benfica a crescer e a impor-se, finalmente é o Sporting a renascer das cinzas após um início de temporada titubeante.

O bom futebol do Sporting deve-se, em grande parte, ao facto de jogar “à antiga”: os extremos são mesmo extremos, vão à linha, centram – aparecendo depois na área jogadores em posição de marcar com a cabeça ou com os pés.

No FC Porto e no Benfica isso não acontece. Ambos seguiram a moda de colocar os esquerdinos do lado direito e os dextros do lado esquerdo. E o que se vê? Ninguém consegue ir à linha centrar. No domingo, em Aveiro, onde o Benfica fez o seu pior jogo da “era Jesus”, foi patético ver Bruno César do lado direito à procura do pé esquerdo, e ver Nolito do lado esquerdo à procura do pé direito.

O FC Porto também está a ser vítima do mesmo “mal”. Hulk, na direita, vê-se e deseja-se para centrar, tendo de o fazer muitas vezes de trivela. Mesmo assim, dado o seu fulminante pé canhoto, consegue tirar mais partido da colocação à direita.

Espero que a moda de pôr os extremos fora do seu lugar natural passe rapidamente. Quando os extremos não podem centrar, porque lhes falta o pé adequado, perde-se profundidade e espetáculo. O Sporting é que não vai na conversa – e está a tirar dividendos de ter extremos à antiga.


In Record

Sem comentários: