janeiro 03, 2011

O Voo da Águia_ Marta Rebelo


Benfica de 2011

Depois dos 5 golos de presente natalício oferecido pelo Benfica aos seus adeptos, a chegada do novo ano obriga a alguma reflexão. E dos meus 12 desejos, enunciados à meia-noite de dia 31, reservo dois para o Glorioso: renovarmos o título – não custa sonhar e, como dizia o outro, “prognósticos só no fim do jogo”, as arbitragens pode sempre virar ou serenar; e fazermos boa figura nas competições europeias, um desejo que se destina sobretudo à época 2011/12, já que este ano fizemos pouco dos milhões da Champions.
Jesus tem razão. As mais recentes declarações de Pinto da Costa sobre o mister têm como objetivo dividir a família benfiquista. E em época de vacas magras é útil concentrar atenções no inimigo comum. Neste sentido, JJ tem alguma sorte com o timing do presidente do FCP: no final da época passada a vontade portista de contratar o mister campeão valorizou Jesus na hora de negociar a renovação contratual. Pinto da Costa tem o condão de valorizar agentes desportivos, de preferência benfiquistas, como aconteceu com Moretto há uns anos. 

Jesus tem, de facto, razão. As arbitragens têm seguido a tendência universal para o revivalismo e, procurando imitar a história dos anos 80/90 os árbitros voltaram a ser abertamente tendenciosos. Ou mais do que isso, como quis ser Olegário Benquerença no início da época, aquando do Guimarães-Benfica. Parece que sofreu de “amnésia temporária” e esqueceu as regras do jogo. Mas árbitros à parte, o péssimo início de campeonato da equipa benfiquista, os seis pontos que Roberto nos custou até acertar com as dimensões da balizas portuguesas e as más decisões estratégicas de Jesus – os cinco a nada que levámos no Dragão… – também explicam os oito pontos de distância.
Mas quero, sobretudo, que Jesus tenha muita razão em 2011. Que Salvio se confirme, façamos boas compras e vendas no mercado de inverno, as vitórias se somem e as goleadas voltem. SLB!

  In Record

Sem comentários: