setembro 08, 2011

Luisão renova até 2016


Entrevista exclusiva à Benfica TV
Luisão: “Vou terminar a minha carreira no Benfica”

O capitão do Sport Lisboa e Benfica, Luisão, vai continuar de “águia ao peito” até 2016. Em entrevista exclusiva à Benfica TV, o internacional brasileiro anunciou esta quinta-feira que vai acabar a sua carreira no Clube e destacou a importância do papel desempenhado pelo presidente Luís Filipe Vieira no seu percurso como futebolista.

“Hoje é um momento muito especial na minha carreira. Venho comunicar à família benfiquista que vou terminar a minha carreira no Benfica, mas não agora. Será daqui a cinco anos ou até seis anos”, afirmou o jogador, que continua com uma cláusula de rescisão de 20 milhões de euros.

O camisola número quatro dos “encarnados” explicou as razões que conduziram à prorrogação do seu vínculo contratual. “Estas últimas semanas têm sido de muitas emoções na minha carreira. Atingi os 300 jogos, tornei-me no jogador estrangeiro com mais jogos e tive o prazer de almoçar ontem com o nosso presidente e com o presidente Lula. Senti nestes dias o carinho que os adeptos e todas as pessoas que trabalham no Benfica têm por mim”, afirmou o atleta.

Na hora da renovação do contrato, Luisão não esqueceu naturalmente o presidente Luís Filipe Vieira que já tinha vaticinado o término da sua carreira no Clube. “O presidente é um presidente de visão, porque já tinha antecipado isso [risos]. Tenho um carinho especial pelo presidente desde que cheguei ao Clube, por me ter mantido aqui mesmo nos momentos difíceis e na última conversa que tivemos ficou mais claro que ele é muito especial ao longo da minha carreira, não só como jogador de futebol, mas também em termos familiares. O presidente tem dado a oportunidade de a minha família crescer com uma estabilidade muito boa.”

O atleta, de 30 anos, chegou ao Benfica em 2003 e Luisão recordou o papel desempenhado por Luís Filipe Vieira nos primeiros tempos com a camisola “encarnada”, mas também dos adeptos. “Foi muito difícil, porque ainda não estava a conseguir encontrar o ritmo que vinha a apresentar no Brasil, por isso, tenho de valorizar não só a postura do presidente, mas também do Camacho [referência ao treinador da altura]. Se não fossem eles e também o carinho de muitos adeptos, eu teria voltado ao Brasil e não teria tido esta carreira tão boa que estou a ter até hoje no Clube”, reconheceu.

Importância dos adeptos e de ser capitão

Na entrevista à Benfica TV, o internacional brasileiro falou também do papel fundamental que os adeptos têm na vida do Clube. “Tem sido uma relação muito boa. Quando não conseguimos ganhar, o adepto também fica chateado e nós respeitamos isso. Sabemos que o adepto tem uma função muito importante no Clube, que é de comparecer, incentivar, mas também de pedir satisfações. A minha relação foi sempre muito boa e fico feliz por isso”, afirmou.

Questionado sobre como encara ser capitão do Sport Lisboa e Benfica, Luisão mostrou-se muito orgulhoso por usar a braçadeira. “Antes de ser conhecido como o Luisão, a qualquer lugar que vá sou conhecido por ser capitão do Benfica, que é um Clube muito grande no mundo inteiro”, sublinhou o defesa, clarificando uma situação que ocorreu quando regressou da Copa América: “Aproveito para esclarecer o que algumas pessoas disseram quando falei na chegada ao aeroporto sobre a braçadeira de capitão do Benfica. O que quis dizer é que tinha a mesma personalidade, tendo a braçadeira no braço ou quando era o Simão ou o Nuno. Jamais quis dizer que nunca gostaria de estar com a braçadeira de capitão, mas sim que a minha postura é a mesma, independentemente se essa está no meu braço ou na de algum companheiro.”

Sem comentários: